fbpx

Orquestra Sinfônica de Campinas apresenta concerto especial neste sábado

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas apresenta um concerto especial neste sábado, 11 de outubro, às 20h, no Teatro Municipal José de Castro Mendes. Obras de João Guilherme Ripper, Felix Mendelssohn e Piotr Ilitch Tchaikovsky foram selecionadas para este concerto. A regência será do maestro convidado Silvio Viegas e terá participação da pianista Juliana D´Agostini.

A apresentação terá início com Psalmus, de Ripper, peça baseada no Salmo 150 (“Louvai ao Senhor em seu santuário”), que se repete em tensão e movimento, no início e no fim. O meio da composição é marcado pelo tom melódico.

Em seguida, Concerto para Piano nº 1, op. 25, Sol Menor, de Mendelsson. A composição, de acordo com a historiadora e musicóloga Lenita Nogueira, foi inspirada num encontro que Mendelssohn teve com uma jovem chamada Delphine von Scharouth, em Munique, quando ia à Itália. A obra, em homenagem à moça, foi considerada um sucesso na estreia, em 1831, e teve a participação de Mendelssohn também como solista. A peça segue o estilo clássico, dividida em três movimentos – Molto allegre com Fuoco, Andante e Presto – Molto Allegro Vivace, mas incorpora elementos do romantismo, como a continuidade entre os movimentos, o que dá mais fluência.

A segunda parte do concerto traz a Sinfonia n° 1, op.13, em Sol menor, de Tchaikovsky. Ele compôs esta Sinfonia em 1865, época em que foi trabalhar como professor no Conservatório de Moscou, escola que havia sito estruturada por ele e o irmão Nikolai. A Sinfonia n° 1 é a primeira obra de maior destaque na carreira de Tchaikovsky. No início não teve grande êxito. Por isso, só foi apresentada completa em 1868, em Moscou, sob a regência de Nikolai, desta vez com grande sucesso. Revisada em 1874 e entre 1883 e 84, a obra foi publicada apenas em 1886, sendo esta a versão executada atualmente.

CONVIDADOS
Silvio Viegas – Regente. Atualmente é o maestro titular da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e professor de Regência na Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais. Foi também Diretor Artístico da Fundação Clóvis Salgado – Palácio das Artes, em Belo Horizonte de 2003 a 2005 e diretor artístico Interino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro de 2011 a 2012. Regeu óperas como O Navio Fantasma, A Flauta Mágica, La Bohème, O Barbeiro de Sevilha, Carmen, Cavalleria Rusticana, Il Trovatore, Romeu e Julieta, Tosca, entre outras. Esteve à frente de diversas Orquestra como convidado. Em 2001, ganhou o primeiro lugar no Concurso Nacional “Jovens Regentes”, organizado pela Orquestra Sinfônica Brasileira no Rio de Janeiro. Natural de Belo Horizonte, estudou regência na Itália e é Mestre em regência pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais.

Juliana D´Agostini – Pianista. Reconhecida como uma das mais importantes pianistas brasileiras da atualidade. Em 2013 lançou o CD “Juliana D’Agostini + Emmanuele Baldini” com o spalla da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Em 2011, o CD “Juliana D’Agostini + Catalin Rotaru” foi finalista do 7º Prêmio Bravo de Cultura, categoria melhor CD Erudito. Em 2010, lançou seu primeiro CD, “Chopin | Liszt”, álbum que foi recebido pela crítica como junção de “técnica e sensibilidade” (revista Veja). Acumula importantes prêmios em sua carreira.

PROGRAMA
JOÃO GUILHERME RIPPER (1959)
Psalmus

FELIX MENDELSSOHN (1809 – 1847)
Concerto para piano N° 1, op. 25, sol menor
Molto Allegro com fuoco
Andante
Presto – Molto Allegro e vivace

Intervalo
PYOTR ILYICH TCHAIKOVSKY (1840 – 1893)
Sinfonia N° 1, op.13, Sol menor

Concerto Especial da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas

Data: 11 de outubro
Horário: 20h
Local: Teatro Municipal José de Castro Mendes – Praça Corrêa de Lemos, s/n, Vila Industrial.
Ingressos: R$ 25,00 (inteira), R$ 12,50 (estudantes, aposentados, maiores de 60 anos), R$ 8,30 (professores da rede pública de ensino e pessoas com deficiência), R$ 4,10 (estudantes da rede pública de ensino). Bilheteria: (19) 3272-9359, (terça a domingo, das 16 às 21h).

  

Comentários