fbpx

Claudia do Posto tem registro deferido e irá assumir como vereadora na Câmara Municipal

Na quarta-feira, dia 27 de junho, o Tribunal Superior Eleitoral – TSE, por sete votos a zero, deferiu o registro da candidatura da vereadora do DEM, Ana Claudia Leite Ferrari, a Claudia do Posto. Com a decisão, Claudia vai assumir uma cadeira na Câmara Municipal, se juntando aos demais vereadores da casa.

A decisão foi tomada após longo processo onde a vereadora teve seu registro indeferido em primeira e segunda instância, tendo recorrido com recurso especial, decidido em plenário pelos ministros do TSE.

Com 247 votos, Claudia foi a décima segunda candidata mais votada na última eleição e agora após oito meses, vai assumir uma cadeira na Câmara Municipal. A vereadora da coligação “Dá Pra Ser Mais”, comporá a bancada da coligação que somando seus membros, contará com seis vereadores, tendo assim, maioria politica na casa.

Outro fator trazido com o novo cenário é de que Claudia será agora a segunda mulher da casa legislativa, se juntando a Ana Brandão do PMN. A cidade não tinha uma vereadora eleita desde o mandato de 2001 – 2004 e agora terá duas representantes, cenário único até o momento da vida politica da cidade.

Ouvida pela equipe de reportagem do Jornal Possense, Claudia ressalta que irá atrás de verbas para a cidade e afirma que um dos focos em que promete atuar é na área da saúde. Falou do sonho de abrir uma clínica terapêutica para acolher as pessoas com algum tipo de dependência química. “Quero trabalhar para a cidade, ajudar as pessoas em todos os sentidos. Sou uma pessoa porreta e gosto de lutar pelos outros. Quero ser uma fiscal do povo”, afirmou.

Pela primeira vez na vida política, vereadora agradeceu seus eleitores e frisou. “Não sou política, sou gestora. Quando se é gestor você pensa no todo”, finaliza.

Empossamento

Ainda não há previsão para a data da posse da vereadora, pois segundo o departamento jurídico da Câmara Municipal, a casa ainda não foi notificada oficialmente da decisão do tribunal. O departamento ainda aguarda os trâmites legais para regularizar a situação da vereadora e assim empossa-la.

Processo

 Claudia, que é sócia administradora de um posto de combustíveis de Santo Antônio de Posse, prestou serviços há autarquia municipal de águas da cidade, durante o período eleitoral de 2016. Por esse motivo, a justiça entendeu que o ato desequilibrava a disputa da eleição em relação aos outros candidatos e através de um processo jurídico, impugnou o empossamento da vereadora. Ao todo, foram 16 lavagens e veículos pertencentes a autarquia, no valor de 500 reais.

Novo Cenário Político

O advogado da Câmara Municipal de Vereadores, José Eduardo Alves Barbosa, explicou que a decisão trará mudanças significativas na vida política da câmara e, consequentemente, da cidade. Uma série de mudanças irão acontecer, tendo em mente o cálculo segundo o coeficiente eleitoral.

Rafael Lanzi, do PPS, era vereador suplente e assumiu a cadeira após Dr. Fernando Serra aceitar o comando da secretaria de educação. Agora, Nene Perim, do PPS, fica como vereador suplente da casa. Após a entrada de Claudia e a recontagem de votos, que ainda irá ocorrer, Guilherme Ferreira, do PRB, e Joel Oliveira, do PSC, deverão deixar o cargo de vereador.

Outro caso de impugnação na última eleição foi o do então candidato, Preto Eventos, do PRP. Preto teve sua candidatura indeferida por decisão monocrática na terça-feira, dia 27, mas ainda recorre na justiça.

Matéria: Anderson de Oliveira

  

Comentários