Devagar se vai ao longe II – O Centro Cultural

Tomaz de Aquino Pires.

Desaparecera o jardim cercado por buxinhos e coberto por azáleas. O espaço havia sido tomado pelo expressivo aumento dos turistas e pelo atendimento aos mesmos pelo serviço de restaurante, servindo-lhes a cobiçada picanha na pedra. O passeio de Maria fumaça, nos domingos e feriados, encanta turistas, atrai visitantes e degustadores dessa culinária. Houve necessidade de estabelecer nova delimitação dos canteiros, refazendo o antigo espaço ajardinado. A Secretaria de Turismo e Cultura, através de seu Departamento de Patrimônio Histórico, procedeu a uma valorização do Centro Cultural ‘Zi Cavalcânti”, espaço público restaurado da 2ª Estação Ferroviária da Mogiana de 1945.

Este Patrimônio Histórico já se encontra tombado pelo CONDEPHAAT de São Paulo: Resolução Sc de 21/06/2016. Em 2017, definiu-se novamente o espaço a ser utilizado pelo Botequim da Estação nos dias comuns e nos finais de semana. Foi refeito espaço de gramado e de jardim com separação dos respectivos locais utilizados pelos serviços de Restaurante. Isto trouxe ao turista melhores condições de uso e um ambiente mais alegre e agradável. Hoje, vicejam “Sampatiens” coloridas e duráveis ao clima que atraem borboletas e beija-flores. As flores têm sido perenes nestas temporadas. Procedeu-se a um grande reparo no piso de cimento com sinalizações adequadas e sensíveis aos pedestres e portadores de deficiências.Isto é, houve investimento em piso tátil para deficientes visuais.

A antiga quota de bancos da Cia Mogiana precisou ser ampliada e o arquiteto Thiago do Patrimônio justificou que os bancos que foram ali inseridos são característicos do Município de Jaguariúna, sua cor característica é amarelo canário, suas laterais pretas com ramos de café e folhas verdes.Não são próprios da Cia Mogiana.

Existem também em praças municipais, passando a ser adotados pela população como um objeto tradicional “vintage”, nas palavras do mesmo. São colocados e mantidos nos logradouros públicos pelo Departamento de Obras e Serviços. Os mesmos passaram a ser mobiliário urbano da cidade, muito característico, pois seus ornamentos não são vistos em outras cidades próximas. O CONPHAAJ pensa como revitalizar o Museu Ferroviário Deusdolar Gomes, assim como suprir outras necessidades e dificuldades do momento.

Há muito por fazer, porém com união, fraternidade, compreensão, cooperação, probidade, vontade, luta… devagar se vai ao longe. “Per aspera ad Castra”. Segundo o Diretor do Patrimônio Histórico, a Secretaria de Turismo e Cultura conseguiu uma verba Federal de um milhão de reais para investir em melhorias na FEART, criar um novo Salão Multiuso e reparos no Parque Linear. A preservação do nosso Patrimônio depende da atuação, cooperação de toda Empresa, Comércio de todo Munícipe. Vamos construir! Preservar nossa história, recuperar nossa memória, cuidar de nossa referência, de nossa identidade. Isto se chama “Cidadania”: Todos somos responsáveis!

  

Comentários