Holambra zera mortalidade infantil em 2017

Ensaio Fotográfico sobre Holambra para Prefeitura de Holambra. Foto: Alexandre Pottes Macedo

Holambra foi a única entre as 20 cidades da Região Metropolitana de Campinas a zerar a Mortalidade Infantil em 2017. De acordo com dados divulgados essa semana pela Fundação Seade, nenhuma morte de crianças com idade inferior a um ano foi registrada no município nesse período. Esse é o terceiro ano em que a cidade zera as estatísticas desde que o prefeito Fernando Fiori de Godoy assumiu a administração municipal – a conquista se repetiu em 2013 e 2015.

Além de zerar a taxa, Holambra obteve ainda a melhor média (3.0) entre as 42 cidades que integram a área de cobertura do Departamento Regional de Saúde, o DRS VII, considerado o período de 2013 a 2017. Além de zerar o índice em três dos cinco anos considerados pela tabela, Holambra obteve média 10.5 em 2014 e de 4.6 em 2016.

Para o prefeito Fernando Fiori de Godoy, o desempenho de Holambra é uma conquista expressiva e que deve ser comemorada. “Ampliamos muito o investimento em saúde desde que assumi a administração. A saúde é um setor prioritário e que felizmente vem colhendo bons resultados do trabalho que está sendo feito”, destaca. “Oferecemos às gestantes uma estrutura adequada durante o período da gravidez e levamos a todas as unidades atendimento consultas com ginecologistas e pediatras para facilitar e melhorar essa assistência”.

O diretor municipal de Saúde, Valmir Marcelo Iglecias, afirma que ainda que durante os meses de gestação são realizadas visitas domiciliares com acompanhamento de qualidade e, para a realização do parto, as mulheres são encaminhadas para hospitais de referência, como o Hospital Estadual Sumaré e o Hospital Walter Ferrari, em Jaguariúna.

De acordo com o levantamento, na contramão de Holambra, 9 cidades da RMC pioraram os índices em relação ao ano passado. São elas Americana, Artur Nogueira, Cosmópolis, Monte Mor, Nova Odessa, Santo Antonio de Posse, Sumaré e Vinhedo.

  

Comentários