Exigência do mercado de trabalho é pauta na UniFaj

Matéria: Paula Partyka

Conversa Aberta promovida pela UniFaj é um projeto em parceria com o Programa SocioCultural TOM e a Escola de Negócios

 Jovem – Empregabilidade e Empreendedorismo. Esse foi o tema da Conversa Aberta da quarta-feira, 22, no Centro Universitário de Jaguariúna (UniFaJ). Estiveram presentes para falar sobre o assunto a responsável pelo Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), Renata Lopes, o Presidente da Associação Comercial e Industrial de Jaguariúna, João Rodrigues, entre outras personalidades locais, bem como os alunos da Escola Julia Calhau.

Este projeto é organizado e coordenado pelo Programa SocioCultural TOM, em parceria com a Escola de Negócios e TV Artes. A discussão abordou a linguagem do jovem diante do cenário atual de geração de empregos, comportamentos e necessidades do mercado.

Apresentado, desta vez, pelo professor e coordenador Rogério Gomes, o bate-papo teve a intenção de discutir o assunto de extrema importância para o jovem. O diretor do campus I, Hector Escobar, conta que essa atividade faz parte da propagação do símbolo de empreendedorismo da Escola de Negócios da UniFaj.

“Logo esses jovens entram no mercado de trabalho, que está cada vez mais exigente. Eles precisam ter a oportunidade de ouvir de pessoas que transitam no meio empresarial para que essas reflexões e dicas possam ser utilizadas para o futuro próximo”, fomenta Escobar.

O empresário Fernando Azevedo, que também compôs a mesa disse que é um desafio e tanto falar sobre mercado de trabalho e empregabilidade no cenário atual. Ele menciona o alto número de desempregados, cerca de 13,1 milhões de pessoas, segundo divulgou nesta sexta-feira, 24, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Sobre tudo para vocês, jovens, que estarão muito em breve nesse mercado de trabalho”.

Azevedo lamenta a realidade, mas diz que é necessário saber lidar. “Competir no mundo de trabalho hoje, quer seja como funcionário ou ao mundo do empreendedorismo, são desafios muito grandes”. Sobre os dois aspectos, ele afirma, a necessidade do preparo por meio do conhecimento.

“As pessoas precisam ter a consciência que é preciso ter preparo. Precisam estudar para se preparar para poder competir, para poder se candidatar a uma vaga de trabalho, ou para poder montar um negocio com eficiência”.

Em sua fala, a supervisora do PAT, Renata, conta que diariamente recebe trabalhadores e percebe a falta orientação. “Muita gente não sabe fazer um currículo, não sabe se comportar na entrevista e também tem dificuldade de estabilidade”. Por isso, explica que uma das ferramentas atuais em Jaguariúna é o curso Time do Emprego.

Este curso, além de trabalhar essas questões citadas, trata da elevação da autoestima e de detectar as habilidades e competências do desempregado. “O desempregado prende a procurar emprego de todas as formas, ele não fica em casa esperando o emprego ligar. Ele vai estar preparada e vai saber o que falar na entrevista. É um diferencial”.

Após as considerações dos convidados da mesa, os alunos puderam fazer perguntas, o que acrescentou ao conhecimento de todos. A próxima edição do Projeto Conversa Aberta acontece em breve, com data e tema a serem definidos.

  

Comentários