Homem preso por assédio é solto em Campinas

Juiz determinou também, em audiência de custódia, que proibiu que o suspeito se aproxime da mulher e determinou que ele compareça em juízo sempre que for intimado. Vítima disse que teve os seios apalpados pelo paciente.

Justiça concedeu, em audiência de custódia realizada na manhã desta sexta-feira (12), liberdade provisória a um idoso de 65 anos, que foi preso após uma auxiliar de limpeza denunciar um caso de assédio sexual dentro do Vera Cruz Hospital, em Campinas (SP), na quinta-feira (11).

De acordo com a vítima de 23 anos, funcionária de uma empresa terceirizada que atua na unidade médica, ela foi apalpada nos seios pelo paciente logo depois que entrou no quarto.

Apesar de conceder a liberdade provisória, a Justiça proibiu que o suspeito se aproxime da mulher e determinou que ele compareça em juízo sempre que for intimado. O homem passou a madrugada na cadeia anexa ao 2º Distrito Policial, em Campinas, depois de ser preso e prestar depoimento na 2ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da metrópole.

A funcionária também prestou depoimento. Ela afirmou à EPTV, afiliada da TV Globo, que o suspeito trancou a porta antes de assediá-la e já tinha causado problema para outros funcionários da unidade médica.

“Ele já chegou botando a mão nos meus seios. Ele falou assim: nossa, você é muito tímida, aí eu já saí do quarto logo. A técnica que estava lá me perguntou se ele tinha feito alguma coisa comigo e eu falei que sim. Ela falou para mim que mais cedo ele tinha chamado ela de ‘gostosa’ e ontem assediou um rapaz também. Eu estou apavorada, juro que não queria voltar, mas eu preciso voltar”, disse a mulher.

A advogada e uma das fundadoras da ONG Coletivo Mulher Pela Justiça, Thais Cremasco, afirmou que, mesmo sem prova material, é possível que o suspeito seja condenado em casos como esse. “A palavra da vítima tem um peso importante porque nós sabemos que muitas vezes um assédio acontece entre quatro paredes e a mulher não consegue provar. Por isso, os julgamentos vêm no sentido de fortalecer o que a mulher está falando”, explicou.

O idoso, que é morador de Salto (SP), chegou a passar mal na delegacia. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi até o local para prestar atendimento, mas ele não precisou retornar ao hospital.

 A empresa de limpeza terceirizada informou que lamenta o episódio e dará assistência à funcionária.

Homem foi encaminhado à delegacia após funcionária de hospital denunciar assédio — Foto: Reprodução/EPTV

Homem foi encaminhado à delegacia após funcionária de hospital denunciar assédio — Foto: Reprodução/EPTV

Fonte: G1
  

Comentários