Jaguariúna zera internações em UTI Covid pela primeira vez depois de 2 anos de pandemia

Pela primeira vez em dois anos de pandemia, Jaguariúna não registra nenhuma internação de paciente com Covid-19 em leito de UTI (unidade de terapia intensiva) na cidade. As primeiras seis UTIs foram instaladas no Hospital Municipal Walter Ferrari no final de abril de 2020, logo no início da pandemia de coronavírus. Até então o município não possuía nenhum leito de terapia intensiva homologado pelo Ministério da Saúde.

No auge da transmissão e da confirmação de novos casos da doença, em março do ano passado, Jaguariúna chegou a bater a casa dos 200% de ocupação de leitos de UTI para pacientes com Covid – todos os 15 leitos homologados estavam ocupados, assim como outros 15 com atendimento intensivo em leitos intermediários.

Segundo a Secretaria de Saúde de Jaguariúna, a queda acentuada no número de novos casos e, consequentemente, de internações por Covid-19 é reflexo direto da ampliação da vacinação na cidade, o que possibilitou zerar as internações em UTI.

A UTI é uma unidade hospitalar para pacientes que necessitam de cuidados intensivos por uma equipe especializada composta por profissionais de diferentes áreas, como médicos intensivistas, enfermeiros, fisioterapeutas e técnicos de enfermagem. Os leitos são equipados com respiradores, monitores, máscaras faciais, entre outros equipamentos.

Além de leitos de UTI, Jaguariúna também investiu na implantação de uma Unidade de Campanha exclusiva para atendimento de pacientes com síndromes gripais e suspeitas de Covid, novos e modernos equipamentos para o Hospital Municipal, que passou por reestruturação e ampliação de leitos, entre outras ações de enfrentamento à pandemia de coronavírus.

“A desocupação dos leitos de UTI colabora para o momento atual da pandemia, com números epidemiológicos bastante favoráveis. Todas as ações preventivas adotadas pelo município colaboraram para que tivéssemos esse resultado. Agradeço muito a toda a equipe da Saúde que contribuiu para isso”, disse a secretária de Saúde de Jaguariúna, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão.

  

Comentários