Mogi Guaçu adota ações para conter o aumento de casos da dengue

A Secretaria Municipal de Saúde adotou uma série de ações com o objetivo de evitar a proliferação dos casos de dengue. O trabalho se desenvolve em estratégias de prevenção e também na atuação de equipes nas regiões onde existe volume maior de criadouros do mosquito transmissor de dengue e de outras doenças.

A Campanha de Prevenção foi lançada dia 1º de fevereiro devido o crescimento de casos positivos de dengue em janeiro. O último relatório aponta que, em apenas três semanas, foram confirmados 17 casos, contra 14 casos positivos do ano de 2018.  Foram registradas 98 notificações até o momento – 65 deram negativo e 10 casos aguardam a divulgação dos resultados dos exames.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Clara Alice Franco de Almeida Carvalho, a campanha tem o objetivo de evitar uma nova epidemia na cidade, a exemplo do que ocorreu em 2015, quando Mogi Guaçu registrou quase 15 mil casos positivos, com mais de 20 mil notificações.

Em 2019, a preocupação maior está no contágio na região central, onde já ocorreu nebulização há duas semanas. A Vigilância Epidemiológica aplicou inseticida com um nebulizador acoplado no veículo da Secretaria Municipal de Saúde.

Na semana passada, nebulizações também ocorreram em quarteirões do Jardim Ypê II, na zona Norte, e nos bairros Hermínio Bueno e Novo Horizonte, na zona Leste. Nesta segunda-feira, 11, foi a vez do Jardim Novo II receber nebulização de inseticida contra o mosquito Aedes aegypti.

A operação ocorreu no entorno da Área de Preservação Ambiental Jardim dos Lagos, conhecida como “Pedalinho”, na zona Norte. A Equipe de Controle de Dengue prevê realizar a nebulização também em partes do Jardim Itamaracá, na zona Sul.

Para efeito de controle, a cidade é dividida em seis áreas referenciadas por Unidades de Saúde, que são as Áreas 01, 02, 03, 04, 05 e 101. Apenas a 101, que abrange o Distrito de Martinho Prado Júnior, Chácaras Alvorada e zona rural, ainda não tem confirmação de casos este ano.

A Área 01 (Itamaraty e Guaçu-Mirim) teve um caso, a 02 (Centro de Saúde e Hermínio Bueno), sete, a 03 (Centro-Oeste e Centenário), seis, a 04 (Jardim Novo, Ypê II e Ypê Pinheiro), sete, e a 05 (Fantinato I e II, Santa Terezinha, Santa Cecília, Zaniboni I e II, Suécia e Chaparral), dois.

Todos os 23 casos confirmados este ano são autóctones, o que significado que os pacientes foram infectados no território do Município. Já dos 14 casos positivos de 2018, dois pacientes eram de Mogi Mirim.

A Secretaria de Saúde reforça que é importante que a população colabore eliminando possíveis criadouros de larvas do Aedes aegypti, como recipientes inservíveis que acumulem água. A recomendação é para que se mantenham fechados vasos sanitários, caixas d’água e ralos. A nebulização é eficaz apenas contra a forma alada do mosquito, que transmite também os vírus de zika e chikungunya.

REUNIÃO COM SECRETÁRIOS

Nesta terça-feira, dia 12, a Secretaria de Saúde promoverá uma reunião com secretários municipais sobre a Campanha de Prevenção à Dengue. O encontro será feito no CEGEP (Centro Guaçuano de Educação Profissional) “Governador Mário Covas”. Na ocasião, a Secretaria de Comunicação Social vai expor a campanha que envolverá divulgação, objetivando a conscientização da população.

  

Comentários