Mogi Guaçu participa da Semana Estadual de Combate ao Mosquito Aedes aegypti

Entre os dias 21 e 26 de novembro, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo promove a Semana Estadual de Combate ao Mosquito Aedes aegypti transmissor da dengue, chikungunya e zika. A semana visa engajar a sociedade civil, municípios e organizações públicas e privadas em atividades focadas na prevenção, tendo como foco especial o controle da proliferação do mosquito transmissor dessas doenças.  

A bióloga da Vigilância Epidemiológica (VE), Cristiana Monteiro Ferraz, explicou que cada município será responsável por desenvolver as estratégias apropriadas para sua localidade, como visitas de agentes às residências e medidas de conscientização da população para adotar cuidados simples e que podem ser feitos diariamente. “Pedimos a colaboração de todos nesta Semana Estadual e que as atividades que realizarmos neste período se tornem parte da rotina da população. Combater o Aedes aegypti é uma tarefa coletiva”, disse.  

Cristiana adiantou que com a chegada do clima quente e úmido do verão aumenta o risco de proliferação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika. “Ao longo dos anos, este mosquito se adaptou extremamente bem às condições urbanas, se reproduzindo em água limpa e parada. É um mosquito doméstico, vive dentro de casa e perto do homem”, disse.  

Segundo ela, por meio desta ação concentrada e simultânea em todos os municípios do Estado, com certeza vai impactar na infestação do mosquito e promoverá bem-estar para todos. “Quem não cuida de sua casa coloca em risco sua família e quem vive nas proximidades. O Aedes aegypti tem hábitos diurnos, se alimenta de sangue humano e transmite uma doença grave, que pode matar”, reforçou.  

Ela frisou ser muito importante que toda população guaçuana participe da Semana Estadual de Combate ao Aedes aegypti colaborando com a retirada de objetos que possam acumular água. “Se todos cuidarmos de nossas casas, juntos podemos acabar com essa doença. O controle do mosquito depende do engajamento da população e do setor público, seja municipal ou estadual, nas ações de vigilância e controle dos vetores”, falou. 

Casos 

A Vigilância Epidemiológica divulgou que, até o momento, são 2.416 casos confirmados de dengue em moradores de Mogi Guaçu. Segundo os dados, houve o registro de 4.484 casos negativos e 1 paciente aguarda o resultado do exame, totalizando 6.916 casos notificados.  

O maior índice da doença, causada pelo mosquito Aedes aegypti, se concentra nos bairros do Jardim Ypê II, com 491 casos, Jardim Ypê Pinheiro com 108 casos e Jardim Novo I, com 174, totalizando 773 casos confirmados na região da Zona Norte. A Zona Leste também apresenta números altos com 512 casos confirmados sendo: 251 (Jardim Zaniboni I), 136 (Jardim Fantinato II) e 125 (Jardim Chaparral). Após, está a região central com 155 casos confirmados. 

Dicas para a Semana Estadual de Combate ao Mosquito Aedes aegypti  

É preciso que todos estejam atentos aos recipientes com água que podem se tornar criadouros do mosquito dentro de sua casa;  

É necessário que toda família combata os focos do Aedes aegypti. Em menos de 15 minutos é possível fazer uma varredura em casa e acabar com os recipientes com água parada, ambiente favorável para procriação do mosquito;  

É de extrema importância a participação de todos nesta campanha para eliminar os criadouros nas residências, também em instituições de ensino ou locais de trabalho.  

  

Comentários