Mogi Guaçu possui quatro estações de tratamento de esgoto

A construção de um segundo módulo de tratamento de esgoto na ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) da Avenida Brasil é apenas um dos projetos em execução para melhorar a eficiência do Município na preservação do Rio Mogi Guaçu.

O primeiro módulo existente garante o abastecimento de aproximadamente 60 mil habitantes. Recentemente foi construída uma unidade de desinfecção final, que devolve ao Rio Mogi Guaçu água com o máximo de pureza.

A construção do segundo módulo, com estes R$ 23,6 milhões aplicados pela Caixa, dobra a capacidade de tratamento de esgoto de Mogi Guaçu. A ETE está dentro de uma área de pouco mais de 500 mil metros quadrados, que abrigará o Porto Mandi.

Neste ano houve o início nas obras de construção do segundo módulo da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) da Bacia dos Ypês. O contrato estabelece o prazo de um ano para a conclusão da obra.

O investimento é de R$ 15,4 milhões em recursos obtidos junto à Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental, através do Ministério das Cidades, a título de fundo perdido, isto é, sem necessidade de reembolso por parte do Município.

DCIM218MEDIADJI_0252.JPG

Quando estiver em funcionamento, a ETE dos Ypês terá capacidade para tratar esgoto de uma população estimada de 100 mil habitantes. Nas regiões Norte e Leste de Mogi Guaçu, residem mais de 60 mil guaçuanos.

O primeiro módulo já está sendo construído com R$ 4 milhões financiados pela Caixa e R$ 5 milhões em recursos próprios do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto). O investimento total garantirá ampliar para 100% o tratamento de esgoto em Mogi Guaçu.

Em Martinho Prado, a construção do sistema de desinfecção final da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) do Distrito está praticamente concluído. A obra custou R$ 427.138,22. Desse total, R$ 390.483,09 são recursos do FEHIDRO (Fundo Estadual de Recursos Hídricos).

A desinfecção é o último ciclo do tratamento de esgoto, que garante a cloração e o lançamento do esgoto tratado no Rio Mogi Guaçu. A obra é um dos 10 projetos do Samae aprovados pelo FEHIDRO a partir de 2013.

Além disso, Mogi Guaçu conta ainda com a ETE das Chácaras Alvorada. Essa eficiência assegurará esgoto tratado em toda a cidade.

  

Comentários