PAULO SILVA ANUNCIA QUE VAI ZERAR CIRURGIAS COM PRÓTESES

O prefeito Paulo Silva assinou, na tarde desta quinta-feira (14), um convênio com a Santa Casa de Mogi Guaçu para zerar a fila de cirurgias ortopédicas com próteses.

Com isso, 130 pacientes, que já possuem a indicação médica para o procedimento, serão finalmente atendidos, sendo que deste total, 98 cirurgias serão de joelho e 32 de quadril. As próteses que atenderão esta demanda terão um custo de pouco mais de R$ 421 mil e serão pagas com R$ 96 mil destinados ao município pela vereadora Lúcia Tenório, R$ 45 mil destinados pela vereadora Joelma e R$ 280 mil com recurso próprio da Prefeitura. O convênio firmado entre a Prefeitura de Mogi Mirim, por meio da Secretaria de Saúde, e a Santa Casa de Mogi Guaçu foi autorizado pela Câmara Municipal na lei nº 6474 e se deu pelo fato do hospital da cidade vizinha ser Referência de Alta Complexidade em Ortopedia.

A assinatura aconteceu no gabinete do prefeito e contou com a presença do administrador e provedor da Santa Casa de Mogi Guaçu, Aldomir Arenghi e Romildo Fontaniello, da secretária de Saúde, Clara Carvalho, da gerente de Saúde, Patrícia Santon, da vereadora Lúcia Tenório e do chefe de gabinete Mauro Nunes. “Já anunciamos o mutirão da catarata e agora, as cirurgias ortopédicas. Aos poucos estamos colocando em dia esses procedimentos”, informou o prefeito.

As cirurgias devem ser iniciadas nos próximos 15 dias e todos os 130 pacientes que estão na fila de espera serão contatados pela Secretaria de Saúde. Para se ter uma ideia do tempo de espera desses pacientes, o primeiro deles a realizar a cirurgia está na fila desde dezembro de 2015, ou seja, há sete anos. “O convênio foi a forma que encontramos de realizar essas cirurgias que são de alta complexidade e que custam muito caro por conta das próteses”, ressaltou a secretária de Saúde, Clara Carvalho.

Já o administrador da Santa Casa ressaltou que o convênio firmado é de 120 dias. “Mas estamos emprenhados e faremos o possível para zerar essa fila até o final de outubro”, completou. Já os procedimentos cirúrgicos que envolvem a cirurgia em si, o centro cirúrgico, leito de UTI (Unidade de Tratamento Intensiva), equipe médica, enfermeiros e insumos terão um custo aproximado de mais R$ 400 mil. Porém, esta verba é enviada pelo Ministério da Saúde à Santa Casa de Mogi Guaçu que possui convênio com o SUS (Sistema Único de Saúde) e que é Referência de Alta Complexidade em Ortopedia.

  

Comentários