Projeto da Prefeitura para iluminação pública é classificado em 1º na fase preliminar de programa da Eletrobrás

Um projeto da Prefeitura de Mogi Guaçu foi classificado em primeiro lugar na final da primeira fase do Programa Nacional de Conversação de Energia – Procel Reluz 2017, da Eletrobrás, e pode render para o Município R$ 1,5 milhão para investimentos em iluminação pública de lâmpadas de LED.

O projeto foi inscrito pela Secretaria de Obras e Viação no modelo IP2 (Iluminação Pública 2) e foi classificado preliminarmente em primeiro lugar dentre os municípios da região Sudeste que também tiveram propostas habilitadas na primeira fase.

Em âmbito nacional, 1.101 municípios se inscreveram, mas apenas 172 encaminharam propostas e a documentação exigida. Desse contingente, 22 municípios foram habilitados, sendo oito da região Sudeste.

O projeto de Mogi Guaçu foi o terceiro classificado em âmbito nacional e é o de maior valor dentre todos. Os dois municípios mais próximos também habilitados, Amparo, no modelo IP1, e São João da Boa Vista, no modelo IP3, pleiteiam, respectivamente, R$ 642.528,32 e R$ 362.087,54.

O gestor da proposta guaçuana é o secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli Neto. Na sexta-feira, dia 16, ele recebeu uma comissão técnica da Eletrobrás que vistoriou a infraestrutura da iluminação pública de ruas e avenidas que receberão lâmpadas de LED (Diodo Emissor de Luz), segundo o projeto.

A comissão percorreu de carro os pontos mapeados e parou para registrar fotos de vários deles. A vistoria foi realizada pelo arquiteto Luciano Geovaneli e o engenheiro eletricista Moisés Antonio dos Santos, da Eletrobrás. O engenheiro Paulo Sérgio de Almeida acompanhou a inspeção.

Os técnicos da Eletrobrás devem emitir o relatório com o parecer no dia 5 de março. Com aprovação final, 15 dias depois deverá ser assinado o convênio e posteriormente aberta a licitação para a execução do serviço.

A verba de R$ 1,5 milhão se destina à compra das lâmpadas de LED. A Prefeitura deverá assumir o custo da mão de obra, a ser orçado. Segundo Salvador Franceli, o valor dos recursos repassados pela Eletrobrás deve permitir a aquisição de material para cerca de 1.500 pontos.

A SOV elaborou sete mapas, que a comissão percorreu durante a vistoria. Eles incluem as avenidas Bandeirantes, Trabalhadores, Padre Jaime, Emília Marchi Martini, Brasil, Nico Lanzi, São Carlos e Mogi Mirim, ruas John Kennedy, Rio Grande do Sul, Paula Bueno e todas as ruas da região central.

No caso de avenidas como a Padre Jaime e Mogi Mirim, a inclusão no projeto foi complementar devido ao fato de já terem sido contempladas em outro convênio de R$ 400 mil para iluminação pública através do Programa de Eficiência Energética da Elektro.

Matéria: ASCOM

  

Comentários