Saúde promove testagem rápida para diagnóstico de HIV, Sífilis e Hepatites Virais

A ação contou com uma equipe completa de profissionais qualificados e capacitados para a realização da testagem.

Saúde promove testagem rápida para diagnóstico de HIV, Sífilis e Hepatites Virais

Em decorrência da campanha Novembro Azul, voltada para a prevenção e conscientização do câncer de próstata, a Secretaria Municipal da Saúde promoveu na manhã do último sábado, dia 20, no Ambulatório de Especialidades Médicas, ação voltada para testagem rápida de HIV, Sífilis e Hepatites Virais, além da campanha de imunização contra Covid-19.

Com uma equipe completa de profissionais com qualificação e capacitação para esse tipo de procedimento, 46 testes rápidos foram realizados.

HIV

HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da aids, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+. E é alterando o DNA dessa célula que o HIV faz cópias de si mesmo. Depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.

Ter o HIV não é a mesma coisa que ter aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. Mas podem transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não tomam as devidas medidas de prevenção. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

Como ocorre a transmissão:

·        Sexo vaginal sem camisinha;

·        Sexo anal sem camisinha;

·        Sexo oral sem camisinha;

·        Uso de seringa por mais de uma pessoa;

·        Transfusão de sangue contaminado;

·        Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;

·        Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Condutas que não transmitem a Aids:

É importante quebrar mitos e tabus, esclarecendo que a pessoa infectada com HIV ou que já tenha manifestado a AIDS não transmitem a doença das seguintes formas:

·        Sexo, desde que se use corretamente a camisinha.

·        Masturbação a dois.

·        Beijo no rosto ou na boca.

·        Suor e lágrima.

·        Picada de inseto.

·        Aperto de mão ou abraço.

·        Sabonete/toalha/lençóis.

·        Talheres/copos.

·        Assento de ônibus.

·        Piscina.

·        Banheiro.

·        Doação de sangue.

·        Pelo ar.

Sífilis

A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária).

Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior. A sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada ou para a criança durante a gestação ou parto.

A infecção por sífilis pode colocar em risco não apenas a saúde do adulto, como também pode ser transmitida para o bebê durante a gestação. O acompanhamento das gestantes e parcerias sexuais durante o pré-natal previne a sífilis congênita e é fundamental.

Hepatites Virais

As hepatites virais são doenças infecciosas sistêmicas que afetam o fígado. Cinco diferentes vírus são reconhecidos como agentes etiológicos da hepatite viral humana: o vírus da hepatite A (HAV), o vírus da hepatite B (HBV), o vírus da hepatite C (HCV), o vírus da hepatite D ou Delta (HDV) e o vírus da hepatite E (HEV). Com exceção do HBV, que possui genoma DNA, todos os demais são vírus RNA.

Embora apresentando diferenças quanto ao tipo de genoma viral, estrutura molecular e classificação taxonômica, estes cinco agentes etiológicos têm o fígado como alvo primário e causam um processo necroinflamatório característico: a “hepatite”. Náusea, vômitos, mal-estar, dor-de-cabeça, e perda do apetite são os sintomas mais freqüentes na fase inicial da doença. Colúria (urina escura) e acolia (fezes esbranquiçadas) antecedem a fase ictérica (pele e olhos amarelados) que, em geral, coincide com alteração das provas de função hepática.

As hepatites A e E são transmitidas pela via orofecal e causam infecções agudas benignas, que evoluem para a cura sem necessidade de tratamento específico. As hepatites B, C e D podem evoluir para a hepatite crônica, que tem como principais complicações a cirrose e o carcinoma hepatocelular.

 

Matéria e Foto: Anderson Oliveira
MTB: 0092086/SP
  

Comentários