Técnicos da Embrapa visitam obras de Saneamento Rural

Com o objetivo de levar esgoto tratado a toda zona rural de Holambra, a Prefeitura vem instalando desde o ano passado fossas biodigestoras em propriedades afastadas da zona urbana da cidade. Na última sexta-feira, dia 31 de março, técnicos da Embrapa e o promotor Dr. Rodrigo Sanches Garcia, do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente, o GAEMA, visitaram três áreas contempladas pelo projeto, onde foram instaladas as primeiras fossas do projeto.

Segundo o promotor Dr. Rodrigo Sanches Garcia as visitas têm a função de avaliar a aceitação, manejo e eficiência dos equipamentos. “Foi possível perceber que os equipamentos estão íntegros, não houve danos durante esse período de 10 meses”, constatou.

Mais de 160 fossas serão em todo o município a partir de investimentos do projeto Nascentes de Holambra. Na visita, os técnicos foram até os bairros Borda da Mata, Camanducaia e Palmeiras.

O engenheiro da Embrapa Carlos Renato Marmo explica que as tecnologias instaladas estão em pleno funcionamento, cumprindo sua função de tratamento dos resíduos domésticos das propriedades rurais escolhidas para esta etapa do trabalho: a implantação de unidades piloto.

“Percebemos que os produtores estão satisfeitos com o desempenho dos sistemas. A parceria entre a Embrapa, Prefeitura de Holambra e a participação do Ministério Público tem sido fundamental para o sucesso da proposta de universalização do saneamento básico rural no município, atitude que tem despertado o interesse, inclusive, das cidades da região”, comentou.

O prefeito Fernando Fiori de Godoy ressaltou a importância do esforço conjunto do município com o Ministério Público, a Embrapa e outras instituições – o que, segundo ele, tornou essa iniciativa possível.

“Assumimos um compromisso necessário de investimentos e de melhorias na área do saneamento nas zonas urbana e rural. Esse é um trabalho difícil, caro, ousado. E que só é possível graças às parcerias”, explicou. “Os resultados, no entanto, valem a pena. São ações que, mesmo pouco visíveis, estão transformando a nossa cidade”.

  

Comentários