fbpx

Alunos do Projeto Guri possense estarão no show de Leci Brandão

“Estamos diante de um desses raros fenômenos que levam anos para surgir em nossa música, mas que, quando surgem, como é o caso de Leci Brandão, a gente verifica que valeu a pena esperar”. Foi com estas palavras que o crítico musical e jornalista Sérgio Cabral fez a apresentação do premiado “Antes Que Eu Volte a Ser Nada”, de 1975, disco de estreia da carreira de Leci, descoberta por ele em 1973, na época em que ela cantava no lendário Teatro Opinião, no Rio de Janeiro, sob o comando musical de Jorge Coutinho.

Em 2015 a artista completa 40 anos de uma trajetória que engrandeceu a música popular brasileira, em especial, o samba. Para celebrar, Leci fará dois shows inéditos, com participação do Projeto Guri. Jundiaí foi a cidade escolhida para sediar o primeiro deles, em 5 setembro, no Teatro Polytheama, onde ela apresentará algumas músicas, como “Zé do Caroço”, “Só Quero te Namorar”, “Deixa, deixa” e “As coisas que mamãe me ensinou”, ao lado dos integrantes da Orquestra do Grupo de Referência de Jundiaí do Projeto Guri, composta por 47 alunos e ex-alunos em estágio mais avançado de aprendizado. O segundo show acontece no Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer na capital de São Paulo. Ambos os shows acontecem às 20h.

Bastante conhecida na cidade, a Orquestra de Jundiaí do Projeto Guri, que conta com o patrocínio da Capital e Energia e da Catho, já realizou importantes apresentações e espetáculos cênico musicais na capital paulista e em outras cidades brasileiras. O grupo ensaia no Teatro Polytheama com frequência e tem um repertório que vai do erudito ao popular.

A cantora apoia o Projeto Guri como madrinha dos polos de ensino do programa dentro dos centros da Fundação CASA. “Ser madrinha dos polos do Guri – Fundação CASA é uma honra e um motivo de orgulho, pois esses adolescentes, que já são olhados com certo preconceito, têm, por meio da educação musical do Guri, incentivos e acesso à inclusão. Eu como artista, referência da música popular brasileira, sempre incentivei a consciência social e política. Tenho também uma origem humilde e servir de referência para estes jovens é muito gratificante”.

Nascida em Madureira, criada em Vila Isabel e primeira mulher a fazer parte da ala de compositores da Mangueira, Leci Brandão gravou 23 discos e 2 DVDs, além de participações e coletâneas. Durante alguns anos, a cantora ficou sem gravar por questões políticas. As gravadoras não aceitavam suas canções, cujas letras denunciavam, em forma de crônica, as agruras sociais do povo e do país.

Leci cantou a defesa das minorias, do povo negro, das mulheres e dos trabalhadores. Foi convidada a se apresentar em todos os eventos afinados com sindicalistas, estudantes, periferia, índios, movimentos de mulheres, população LGBT e, principalmente, o Movimento Negro. Nos últimos anos, todos os discos de Leci contêm uma faixa falando sobre a cultura afro-brasileira de forma direta, transparente e apaixonada.

A questão social, sempre presente em sua obra artística, a fez rescindir um contrato com a gravadora Polygram, em 1981, por terem tentado censurar seu trabalho, negando-se a gravar suas canções, entre elas, um de seus maiores sucessos: “Zé do Caroço”.

Entre 1984 e 1993 Leci foi comentarista dos desfiles das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, pela TV Globo. Após uma pausa de seis anos, voltou a comentar o Carnaval carioca de 2000 a 2001. Entre 2002 e 2010 comentou os desfiles das Escolas de Samba de São Paulo, pela mesma emissora, quando se consolidou como a voz das comunidades. Após esse período, teve que se afastar por ter sido eleita deputada estadual por São Paulo, tornando-se a segunda mulher negra a ocupar uma cadeira no parlamento paulista, sendo reeleita em 2014.

Entre os muitos sucessos gravados por Leci – muitos dos quais de sua autoria – estão “Ombro Amigo”, “Essa Tal Criatura”, “Só Quero te Namorar”, “Olodum Força Divina” (primeiro disco de ouro), “Valeu”, “Bate Tambor”, o disco premiado “Cidadã Brasileira”, “Perdoa” e “Anjos da Guarda”, uma homenagem aos professores do país.

Sobre a Orquestra do Grupo de Referência de Jundiaí do Projeto Guri

A Orquestra do Guri, de Jundiaí, é um dos mais promissores Grupos de Referência do Projeto, patrocinados pela Capitale Energia e pela Catho. Composto pelos naipes de metais, madeiras, cordas e percussão, o grupo, que conta com 47 alunos e ex-alunos em estágio avançado de aprendizado, interpreta um repertório de grande qualidade, sob direção do maestro André Sanchez.

Natanael, André, Vinicius, João Vitor, Matheus, Lucia, Ligia, Emilly, Isabella e Camila são os músicos possenses que integram o grupo de referência e estarão participando dos dois shows de Leci.

Em 2012, a orquestra teve a grande experiência de ser regida pelo renomado maestro Carlos Moreno, em um concerto realizado em Jundiaí. O grupo também já se apresentou na Bienal do Livro e outros eventos, sempre com uma execução musical precisa e emocionante. Já realizou importantes espetáculos, como Lendas Amazônicas, concebido pela Amigos do Guri em 2014.

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: CCR Autoban, Sky, Duke Energy, Banco Votorantim, Arteris, Grupo Maringá, GRUPO BB E MAPFRE, Magazine Luiza, EMS, Supermercados Tauste, CCR SP Vias, Mercedes-Benz, Capitale Energia, Pirelli, Capuani, Pinheiro Neto, Catho, Cipatex, PPE Fios, Instituto CreditSuisseHedging-Griffo e Inforshop.

PROJETO GURI
Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclado e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos. Aproximadamente 47 mil alunos são atendidos, por ano, em mais de 410 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os cerca de 370 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu cerca de 600 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

O Projeto Guri em Santo Antonio de Posse, mantido em parceria com a Prefeitura Municipal, fica na Rua Aurelio Sia nº 82, Jardim Luciana, telefone: 3896-3963.

AMIGOS DO GURI
A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri desde 2004. A partir de 2008 passou a ser responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: http://www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

  

Comentários