fbpx

Aumento da passagem de ônibus gera reclamação

As tarifas dos ônibus da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), que circulam na Região Metropolitana de Campinas, ficaram mais caras desde a tarde de terça-feira (6). O reajuste teve um aumento médio de 16,6% e de acordo com a empresa levou em conta os gastos com combustível, quilômetros rodados e mão-de-obra. As rotas que passam por Artur Nogueira também foram afetadas com aumentos que variam de R$ 0,55 a R$ 1,05.

 Itinerários que passam pela cidade sofreram reajuste que vão de R$ 0,55 a R$ 1,05 \ Foto: Nogueirense/EMTU

Itinerários que passam pela cidade sofreram reajuste que vão de R$ 0,55 a R$ 1,05 \ Foto: Nogueirense/EMTU

Antes da mudança a viagem para Cosmópolis, por exemplo, custava R$ 3,05, com a alteração passou a valer R$ 3,60. O mesmo aconteceu com as rotas que partem do município com destino a Engenheiro Coelho e Holambra. Para Jaguariúna o valor passou de R$ 3,50 para R$ 4,10. Já para Campinas a tarifa que custava R$ 5,55 na linha 606 EX1, passou a custar R$ 6,40, já na linha 693 com destino a Campinas via Holambra o valor saltou de R$ 7,45 para R$ 8,50, o maior aumento local.

A medida incomodou usuários do transporte. A professora de Artes Eliana Brito, de 44 anos, precisa ir para Jaguariúna todos os dias e está insatisfeita com a alteração. “Eu acho que exageraram demais no aumento”, criticou. Para ela o valor não é compatível com a qualidade do serviço prestado. A partir de agora a professora que desembolsava R$ 140 por mês para ir todos os dias ao trabalho passará a ter um gasto de R$ 164, uma média de R$ 24 a mais.

Quem não anda de ônibus também reprovou a alteração. O trabalhador industrial Luís da Silveira, de 46 anos, disse que há anos não usa o transporte, mas considera que o reajuste foi abusivo. “Eu ouvi falar do aumento e achei inconveniente. Ainda bem que eu não preciso mais usar ônibus, pois se precisasse não iria gostar”, critica.

De acordo com a EMTU o último reajuste ocorreu em 2012.

  

Comentários