Brasileiro que já formou mais de 500 jovens das favelas em programação é finalista de prêmio mundial de estudantes empreendedores

Diogo Bezerra, de 28 anos, representa o país na final do GSEA

No Jardim Pantanal, na Zona Leste de São Paulo, o jovem Diogo Bezerra teve uma infância difícil, como é a dura realidade de muitos jovens da periferia. Filho de mãe analfabeta e com nove irmãos, reciclava cadernos do ano anterior na escola e, às vezes, precisava de doações de lápis e apostilas para seguir os estudos.

Hoje, aos 28 anos, Diogo faz de seu trabalho uma missão para que outros jovens tenham uma realidade diferente. Ele idealizou a empresa Mais1Code, que oferece cursos gratuitos na área de programação. A iniciativa já impactou mais de 500 jovens, tem mais de 43 mil horas/aula e resultou em R$ 200 mil reais de renda salarial para os jovens que ali estudaram, dos quais 66% dos alunos são pretos ou pardos e 40% são mulheres. “Isso é o resultado do nosso objetivo: impactar, transformar esse nosso meio (o da periferia), diz Diogo, ao complementar que atualmente a Mais1Code atende grandes marcas como Instituto Coca-Cola e Zé Delivery, do grupo Ambev.

O case, que tem transformado vidas de jovens moradores de favelas, agora está ganhando o mundo: o projeto está entre os seis finalistas da maior competição global de empreendedorismo entre universitários, o Global Student Entrepreneur Awards (GSEA).  Os vencedores serão divulgados em uma série de mini documentários que explicarão a trajetória dos finalistas ao longo das etapas do concurso. O primeiro episódio será publicado no YouTube do GSEA em 9 de junho. O episódio final irá ao ar no final do mês com o anúncio oficial do vencedor. Além disso, os três primeiros colocados receberão prêmios entre cinco e 25 mil dólares.

Reprogramando a quebrada

Formado em Marketing e cursando a segunda graduação em Publicidade e Propaganda, Diogo já havia estreado no empreendedorismo antes da Mais1Code. “Sempre tive essa ambição social, e com a escola 4Way — que usa uma tecnologia canadense para oferecer aulas a preços acessíveis —, que também sou proprietário, conheci de perto a arte de liderar e engajar projetos inovadores”, disse.

Diogo conta que o slogan da Mais1Code é ‘Reprogramando a quebrada’ e relata a origem do negócio. “Eu observei que uma parcela significativa dos desempregados de São Paulo mora nas periferias e há estudos que mostram que o déficit de profissionais de tecnologia pode chegar a meio milhão até 2025. Então, pensei: porque não qualificar essa galera para o mercado de trabalho?”.

Sobre o GSEA

Fomentador do empreendedorismo estudantil e considerada a maior competição global de empreendedorismo entre universitários, o GSEA, promovido pela Entrepreneurs Organization (EO), reúne mais de 60 países, e confere a todos os participantes do concurso mentoria de empreendedores seniores previamente selecionados, com a finalidade de prepará-los para a competição. 

  

Comentários