Campinas encerra novembro com aumento de registros de furtos, roubos e estupros, diz secretaria

Campinas (SP) encerrou novembro com alta de registros de estupro, roubo, furto, além de roubo e furto de veículos, no comparativo com o mesmo período de 2020, de acordo com estatísticas da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP). Por outro lado, o número de homicídios ficou igual.

Veja abaixo detalhes e o que diz o governo do estado sobre os indicadores.

Homicídios

Oito homicídios, com nove vítimas, foram registrados na metrópole em novembro, diz o levantamento. O total de casos no mês é o mesmo para este mês anterior, porém, com uma vítima a menos.

O acumulado do ano, em contrapartida, mostra redução. Desde janeiro, as delegacias registraram 100 ocorrências com 105 vítimas, ante 116 casos com 118 vidas perdidas em intervalo igual de 2020.

Furtos

  • Furtos gerais: passaram de 1.063, em 2020, para 1.565 em 2021; o aumento é de 47,2%;
  • Furtos de veículos: saltaram de 257, em 2020, para 298 em 2021; a alta é de 15,9%;

Roubos

  • Roubos em geral: passaram de 379, em 2020, para 465 em 2021; o crescimento é de 22,6%;
  • Roubos de veículo: passaram de 133, em 2020, para 187 em 2021; a diferença é de 40,6%;
  • Roubos a banco: sem ocorrências nos meses de novembro em 2020 e 2021;
  • Roubos de carga: foram de 16, em 2020, para 26 em 2021; subiu 62,5%;

Crimes contra o patrimônio

O delegado José Henrique Ventura, diretor do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior (Deinter 2), ressaltou a diminuição de homicídios no período, e também lembrou que neste ano houve somente um latrocínio (roubo qualificado pelo resultado morte), enquanto foram dez em 2020.

“Isso é muito importante porque é um crime que impacta muito também”, falou ao g1.

Sobre os estupros, ele ponderou que havia subnotificação e os dados deste ano revelam aumento de notificações com a volta das pessoas às atividades, sem restrições severas por conta da pandemia.

Para ele, a “volta à vida normal” também reflete no aumento de crimes patrimoniais como furtos e roubos. Com isso, ele reforçou a necessidade de retomada de medidas preventivas pela população, mas defendeu que há ações preventivas e realizadas em conjunto pelas polícias e Guarda.

“2020 foi um ano atípico, que segregou todo mundo, então principalmente os crimes contra o patrimônio diminuíram”, ponderou ao mencionar sobre o comparativo entre os dois períodos.

2ª DDM de Campinas completa 1 ano do atendimento 24 horas nesta sexta-feira — Foto: Fernando Evans/G1

2ª DDM de Campinas completa 1 ano do atendimento 24 horas nesta sexta-feira — Foto: Fernando Evans/G1

O que diz a SSP?

Ao g1, a assessoria da pasta também reforçou que as forças de segurança têm intensificado as atividades de policiamento preventivo e ostensivo para combater os roubos e furtos em todo o estado, inclusive na região de Campinas, com a realização de ações específicas e operações.

“De janeiro a novembro deste ano, as polícias paulistas prenderam e apreenderam 4.047 criminosos, recuperaram 1.298 veículos roubados ou furtados, retiraram 332 armas ilegais das ruas de Campinas. A Polícia Civil instaurou 8.059 inquéritos policiais para investigar crimes pela região. A forças de segurança paulistas ressaltam a importância do boletim de ocorrência para que os casos sejam investigados e os autores presos, e para orientar o policiamento nas ruas’, diz nota.

  

Comentários