Começa o trabalho de limpeza no prédio da secretaria de Obras

Um dos problemas apontados logo na primeira semana de administração do novo Executivo de Jaguariúna, foi o acúmulo de lixo irregular e entulhos nas margens do Rio Camanducaia e na sede do Departamento de Obras, respectivamente.

Segundo relatos de funcionários do local, o aumento de materiais se deu no segundo ano da gestão anterior, quando o transbordo deixou de ser feito para um aterro particular que recebia esse material, em Pedreira.

Entre os entulhos estavam a balança utilizada na pesagem do lixo domiciliar recolhido nas ruas – quebrada há mais de ano –, cerca de 30 veículos, entre eles caminhões, kombis, vans, tratores, pá-carregadeira, ambulâncias e uma máquina de triturar galhos. Além da grande quantidade de fezes de pombos encontradas no local.

O Jornal de Jaguariúna entrou em contato com a secretaria de Obras da cidade para saber quais medidas serão tomadas, à partir de agora, em relação à limpeza dos ambientes. O diretor de obras, Lucas Gabriel Lopes, explicou que a seleção de espaços para vazão dos resíduos e entulhos já começou a ser realizada. “Estamos selecionando algumas áreas onde seja viável a implantação de uma usina de moagem de resíduos provenientes da construção civil e de um aterro de inertes. Mas enquanto não se dá uma solução definitiva ao problema estamos nos valendo de aterros particulares que são devidamente licenciados.”

Lopes afirmou ainda que, à partir do dia 18 de janeiro, a moagem dos resíduos de podas e cortes de árvores será realizada no próprio prédio da secretaria, assim como os restos da roçagem e capinação realizadas no município. O departamento também disponibilizará o uso da máquina aos agricultores jaguriunenses interessados.

Quanto aos móveis que serão descartados, a secretaria de Meio Ambiente estuda a possibilidade de uma parceria com a cooperativa de catadores da cidade para que seja possível a desmontagem e a venda da madeira proveniente.

Quando questionado sobre o destino dos equipamentos sucateados, o diretor afirmou que após um levantamento mais apurado, leilões serão elaborados no próximo mês para venda dos equipamentos, veículos e itens que forem considerados inaproveitáveis. Já as inúmeras lâmpadas descartadas no local, se encontram estocadas dentro de galpões da secretaria e sua destinação final será feita através do Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental (CONSAB).

O diretor afirma que alguns dos veículos descartados têm possibilidade de aproveitamento. “Duas ambulâncias estão sendo consertadas e estarão em funcionamento nos próximos dias. Já os problemas nos veículos são dos mais variados, alguns necessitam, inclusive, da retifica dos motores.”, explicou.

Sobre a infestação de pombos no local, Lopes afirmou que as medidas estão sendo pensadas juntamente à secretaria de Saúde, através do Departamento de Vigilância Sanitária.

Na última quarta-feira, dia 11 de janeiro, o prefeito Gustavo Reis e técnicos das secretarias de Obras e de Meio Ambiente se reuniram com o gerente da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), Lúcio Flávio Furtado, em Paulínia, para discutir soluções para o problema do lixo irregular. O prefeito propôs apresentar para o órgão um cronograma de prioridades e metas para que este problema ambiental da cidade comece a ser resolvido.

Matéria: Caroline Belini e Monique Lima

  

Comentários