fbpx

Como a gestante deve se proteger do zika vírus?

As manchetes nos jornais, televisão, internet sobre o surto de microcefalia e o zika vírus no país está tirando o sono de muitas gestantes. Até o momento, 18 estados confirmaram o zika vírus: Roraima, Pará, Amazonas, Rondônisa, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso, Paraná e São Paulo.

O mosquito Aedes aegypti, conhecido por transmitir a dengue, a chikungunya e o zika vírus é provável causador da microcefalia em fetos

O mosquito Aedes aegypti, conhecido por transmitir a dengue, a chikungunya e o zika vírus é provável causador da microcefalia em fetos

Os resultados do LIRA 2015 – Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti divulgado no dia 21 de novembro constatou 739 casos suspeitos de microcefalia, em 160 municípios de nove estados. O estado de Pernambuco foi o que mais registrou casos de microcefalia. Foram 487 bebês identificados com a doença.

O mosquito Aedes aegypti, conhecido por transmitir a dengue, a chikungunya e o zika vírus é provável causador da microcefalia em fetos. De acordo com a ginecologista e obstetra Dra. Erica Mantelli (CRM-SP: 124.315), pós–graduada em Sexologia pela Universidade de São Paulo (USP), a microcefalia é uma condição neurológica caracterizada quando a cabeça do bebê é menor do que o esperado para a sua idade e sexo. “A microcefalia é diagnosticada no início da vida, o cérebro não cresce o suficiente na gestação ou após o nascimento”, explica.

Excesso de pele e fronte mais achatada também caracteriza a microfalia. “O problema pode ser notado no ultrassom. A partir do momento que é identificado é feita uma investigação para descobrir a causa. Exames como ultrassonografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética podem ser solicitados”, comenta a ginecologista.

A sua causa está relacionada à má-formação desencadeada por uma alteração genética, substâncias tóxicas e infecções. Vírus, como o da toxoplasmose, herpes e o  citomegalovírus podem causar interferência no desenvolvimento cerebral.

CUIDADOS NA GESTAÇÃO
Alguns cuidados podem manter as gestantes protegidas do zika vírus. A Ginecologista e Obstetra Erica Mantelli listou o que a gestante deve fazer:

CUIDE DA SUA CASA
Fique atenta ao excesso de água nos vasos com plantas, em garrafas, copos e pneus no quintal. “É importante a gestante pedir ajuda para fiscalizar se existe água acumulada na sua casa em objetivos, reservatórios de água de geladeira. O ideal é não deixar nenhum objeto com água parada para não atrair o mosquito Aedes aegypti”, sugere a médica.

APOSTE NAS ROUPAS DE MANGA LONGA E CALÇAS
Apesar das temperaturas quentes, uma forma da gestante se proteger das picadas é tirar do guarda-roupa as blusas de manga longas de tecido leves e usar calças confortáveis.

REPELENTES
Os repelentes são um aliado da mulheres. O ideal é que a gestante se consulte com o seu ginecologista para a indicação do repelente. Aplique três vezes ao dia durante o corpo, não se esqueça das pernas e braços.

PROTEÇÃO NAS JANELAS
Vale a pena colocar uma proteção na janela contra mosquitos no quarto do bebê e em toda a casa, principalmente se o local que você mora tem muitas árvores. Essa proteção amenizará a entrada de mosquitos.

PROPAGANDA BOCA-A-BOCA
Incentive o seus vizinhos a cuidarem de suas casas, verificar se tem água parada para que não ocorra a transmissão do mosquito no seu bairro.

  

Comentários