fbpx

Consab responderá por iluminação pública

O Consab (Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental) será responsável pela gestão da iluminação pública nas cidades consorciadas (Holambra, Artur Nogueira, Conchal, Cordeirópolis, Cosmópolis e Engenheiro Coelho). Foi o que informou o coordenador geral da entidade, Dimas Starnini, durante visita dos vereadores holambrenses Pedro Weel e Géza Árbocz à sede do Consab, em Cosmópolis, realizada no último dia 30.

Pedro Weel, Dimas Starnini e Géza Árbocz  na sede do Consab, em Cosmópolis

Pedro Weel, Dimas Starnini e Géza Árbocz  na sede do Consab, em Cosmópolis

Segundo resolução normativa da Aneel (Agencia Nacional de Energia Elétrica), até o final deste ano as concessionárias de energia deverão transferir os ativos de iluminação pública para as prefeituras, o que significa assumir sua manutenção. Nos seis municípios que fazem parte do Consab essa manutenção será gerida pelo consórcio.

De acordo com Starnini, o mapeamento dos pontos de iluminação existentes nos municípios está em progresso. Estimados em aproximadamente 27 mil, eles serão georreferenciados e identificados. Quando o sistema entrar em funcionamento, um call center instalado na sede do consórcio atenderá alertas da população sobre problemas na iluminação pública.

O consórcio atua em outras áreas como coleta de lixo convencional, reciclável, hospitalar e eletrônico. A máquina de britagem, que tritura resíduos provenientes da construção civil, trabalha de forma itinerante, circulando entre as cidades consorciadas. A porcentagem de reciclagem do material processado dessa forma atinge 100%. A mistura de brita, areia e ferro resultante é normalmente utilizada na pavimentação de vias. Entretanto, o Consab planeja a partir de 2015 usar o material derivado da britagem para construir bancos, blocos, tijolos e tampas através de programa do governo federal que utiliza mão de obra de presidiários. A produção será encaminhada posteriormente às prefeituras das seis cidades.

Durante a visita, os vereadores holambrenses puderam conhecer as instalações da nova sede da entidade e tirar dúvidas. Géza e Pedro questionaram os motivos da ausência de vereadores no conselho fiscal do consórcio. Também cobraram maior detalhamento nos documentos disponibilizados no portal da transparência do Consab.

  

Comentários