Denúncias levam à apreensão de Fiorino usada em assalto e camionete clonada

O assalto à agência do Banco Santander de Jaguariúna, na última segunda-feira, dia 24 de abril, teve desdobramentos em duas ocorrências com participação da Guarda Municipal (GM) local, ambas ocorridas na quarta-feira, dia 26.

A Fiorino branca ano 2009, utilizada na fuga dos assaltantes foi localizada e apreendida pelos GMs Altino, Borges e Paulino por volta das 18h30, durante averiguação de denúncia anônima sobre um veículo abandonado na altura do número 117 da Rua Sergipe, no Jardim Fontanella.

Conforme consta no Boletim de Ocorrência lavrado na delegacia de Polícia, os GMs de Jaguariúna encontraram a Fiorino devidamente estacionada e perceberam que ela tinha as mesmas características da que foi utilizada pelos ladrões no assalto ao Santander. Como as portas não estavam travadas, eles olharam em seu interior e lá encontraram malotes vazios e papéis do banco.

Comunicada do fato, a delegada Juliana Belinatti Menardo determinou a apreensão da Fiorino para que fosse periciada pelo Instituto de Criminalística (IC) de Mogi Guaçu. No BO, consta ainda que a Fiorino tinha placas LXO 6630, as mesmas de um veículo do mesmo modelo, mas pela numeração do chassi verificou-se que as placas originais são EJY 9100, de Campinas. Conforme registrado no BO 305895/2017, a Fiorino foi furtada no dia 3 de março de 2017, em Campinas.

Camionete clonada

Uma outra denúncia anônima, feita também no dia 26 de abril,  levou a Polícia Civil, com apoio da Romu – Ronda Ostensiva Municipal – da Guarda Municipal (GM) de Jaguariúna, a apreender uma caminhonete com a identificação original adulterada.

Conforme consta no Boletim de ocorrência (BO) lavrado na delegacia de Polícia, o veículo foi encontrado na garagem de uma casa no bairro Vargeão, pertencente a J. F. V. de A., um dos detidos sob acusação de participar do assalto ao Banco Santander, ocorrido na segunda-feira dia 24 de abril.

A apreensão foi feita pelo investigador Carlos, que contou com o apoio dos GMs Faustino (que atua como escrivão “ad hoc” na delegacia), de Lima e Bicudo, os dois últimos da Romu. O veículo estava numa casa da Avenida Pacífico Moneda, num trecho de estrada de terra.

O morador do imóvel revelou ser inquilino de J. F. há três meses e que a camionete preta ano 2008, movida a diesel, com placas JRQ 1665, de São Paulo, ficava guardada na garagem a pedido do dono da casa, que é seu vizinho. O investigador Carlos procurou a irmã de J. F., que mora na mesma rua, e ela se prontificou a ir à casa dele e achar a chave da camionete, mas não conseguiu.

Ao verificar o lacre da placa traseira do veículo o policial viu que ele estava rompido e fez uma pesquisa sobre a camionete no sistema de informações da Secretaria de Segurança Pública (via Prodesp), constatando que a numeração do chassi não batia com os números existentes no vidro, que teriam que ser iguais.

Diante desses fatos o veículo foi apreendido e levado à delegacia, onde, após nova pesquisa foi revelado que a camionete tinha sido roubada em Campinas, no dia 13 de setembro do ano passado. O utilitário foi então recolhido ao pátio mantido pela Polícia Civil, enquanto uma investigação sobre possível receptação de veículo furtado está em andamento.

Cumprimento de mandado de busca termina com prisão em flagrante por tráfico de drogas

O desempregado E. H. F., de 28 anos, foi preso em flagrante nesta quarta-feira, dia 27, em Jaguariúna, por suspeita de tráfico de drogas, após ter sido detido durante o cumprimento de um Mandado de Busca e Apreensão expedido pela Justiça.

A prisão foi efetuada pelo investigador Carlos, da Polícia Civil, que solicitou e recebeu apoio da Guarda Municipal (GM), localizando durante as buscas na residência do acusado, na Vila 12 de Setembro, porções de maconha, cocaína e comprimidos de ecstasy, além de dinheiro em espécie e balança.

Conforme consta no Boletim de Ocorrência (BO) lavrado na delegacia, as drogas foram encontradas pelo investigador Carlos em saquinhos plásticos em cima de um armário da cozinha. Já uma balança para pesagem das porções, saquinhos plásticos vazios e uma tesoura estavam numa gaveta do mesmo armário.  O dinheiro, dividido em R$ 233,00 em notas e R$ 36,95 em moedas, estava num pote, que foi encontrado pelo GM Elias também no armário da cozinha.

Questionado pelo investigador quanto às drogas encontradas em sua casa, E. H. F. alegou que as guardava para uso próprio. Conduzido à delegacia o acusado foi indiciado por determinação da delegada Juliana Belinatti Menardo, conforme consta no BO, “pelo cometimento, em tese, do crime de tráfico de drogas”, sendo encaminhado à Cadeia Pública de Itapira, onde permanece à disposição da Justiça.

  Matéria: ASCOM / Fotos: Divulgação

  

Comentários