Ecopontos e terrenos particulares continuam sendo utilizados para descarte irregular de resíduos

Holambra possui 36 ecopontos, destinados a receber exclusivamente restos de poda e jardinagem. Entretanto, o descarte irregular de resíduos, como lixo doméstico e restos de construção, continua acontecendo nas caçambas e no entorno dos ecopontos. Terrenos particulares também são alvo do descarte irregular. E para tentar coibir o acúmulo de lixo nesses locais o setor de fiscalização da Prefeitura  passará a notificar os proprietários dessas áreas, para que providenciem calçamento e cercamento, conforme exigido pelo Código de Posturas do município.

“Infelizmente algumas pessoas realizam o descarte em ecopontos, destinados apenas a resíduos verdes, e também em terrenos particulares. A ação de notificar os proprietários para que cerquem visa dificultar o despejo de detritos nessas áreas”, afirmou o supervisor do Departamento Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Leandro Anselmo. O supervidor lembra que, de acordo com o Artigo 67 da Lei Complementar n° 170/2005, que institui o Código de Meio Ambiente, em caso de flagrante, o descarte irregular é passível de multa.

O diretor do Departamento Municipal de Serviços Públicos, José Marcos de Souza, lembra que, além dos ecopontos, Holambra possui diversos serviços voltados à limpeza pública, como a coleta diária de lixo doméstico, coleta seletiva e Operação Cata-Bagulho, que recolhe móveis velhos e restos de poda. “Trabalhamos em várias vertentes para manter o município limpo e organizado. É preciso haver uma conscientização de que a cidade pertence a todos e o descarte irregular de resíduos gera riscos à saúde, pois favorece a proliferação de roedores e insetos que podem ser vetores de doenças”, concluiu.

  

Comentários