fbpx

Família confirma que corpo encontrado em Cosmópolis é de comerciante desaparecida

O corpo encontrado em um canavial da Usina Ester em Cosmópolis na sexta-feira, dia 22 de abril, é mesmo da empresária Rosana Machado dos Reis, de 28 anos, que estava desaparecida desde o último domingo, dia 17 de abril. O reconhecimento foi feito por um parente na manhã deste sábado, dia 23, no Instituto Médico Legal (IML) de Americana, para onde o corpo foi levado.

A equipe do Portal CBA Notícias esteve na delegacia de Cosmópolis, onde o caso foi registrado e conversou com familiares. O tio de Rosana, Claudinei Rosa Machado contou como foi o reconhecimento. “Quando nós fomos ver o corpo no canavial, nós já sabíamos de que era ela, por causa da roupa que ela usava no dia que desapareceu e também pelo aparelho dentário transparente”, disse o homem.

Familiares de Rosana estão da Delegacia de Cosmópolis prestando depoimentos.

Familiares de Rosana estão da Delegacia de Cosmópolis prestando depoimentos.

“Hoje lá no IML, nós apenas confirmamos o que já desconfiávamos. Era ela de fato. A Rosana tinha duas tatuagens no tornozelo e vimos essas tatuagens”, desabafou o tio. Ele disse ainda que o corpo estava em avançado estado de decomposição.

Ainda segundo o tio, o corpo de Rosana deve ser levado para a cidade de Campo do Meio (MG), onde será enterrado assim que for liberado pelo IML. “Ela foi morta no domingo, dia 17, o corpo só foi achado na sexta-feira, dia 22, ou seja, uma semana depois, é muito tempo. Assim que o IML liberar o corpo, nós vamos levar ele para Minas Gerais e enterrá-lo assim que chegar lá, porque ele não vai poder ficar muito tempo exposto para o velório.

De acordo com o tio de Rosana, o corpo foi encontrado por um funcionário da Usina Ester que trabalhava no canavial. Ele viu o corpo entre a plantação e acionou as forças de segurança.

O caso será investigado pela Delegacia de Cosmópolis.

O caso será investigado pela Delegacia de Cosmópolis.

Desaparecimento

A empresária, que morava em Paulínia, possuía uma loja de roupas no Centro de Artur Nogueira. Há 15 dias, ela foi para Campo do Meio passear e visitar parentes.

Ela teria saído da cidade mineira no domingo, dia 17 de abril, por volta do 12h. De Campo do Meio, ela iria até Alfenas, onde faria uma baldeação até Poços de Caldas, onde pegaria o ônibus até Campinas e seguira até Paulínia. Segundo familiares, ela não teria embarcado no coletivo em Alfenas.

A última vez que a jovem foi vista, foi por volta das 20h30, em uma pizzaria no Centro  de Artur Nogueira, acompanhada do ex-marido, principal suspeito  do crime.

Matéria: Wagner Luan / Fonte: CBA Notícias

  

Comentários