Investimento na saúde para tornar Mogi Mirim uma referência regional

Nova estrutura e equipamentos modernos tornarão Mogi Mirim uma referência regional em saúde. É o que pretende a Prefeitura com um projeto que prevê compra de diversos equipamentos, atualmente não disponíveis no Município, bem como a substituição de equipamentos obsoletos, que são utilizados no atendimento diário na rede pública. Para isso, o Prefeito Paulo Silva apresentou à Câmara de Vereadores, um projeto de lei que autoriza o Executivo a realizar o investimento de mais de R$ 5 milhões.

Ao todo, são 576 itens que fazem parte da reestruturação da Saúde. Entre eles, 221 serão destinados para a Atenção Básica, 132 para o CEM (Centro de Especialidades Médicas), 51 para o Centro de Especialidades Odontológicas, 59 para a Santa Casa, 19 para o Laboratório de Síndromes Gripais. Também serão beneficiados a fonoaudiologia, fisioterapia, laboratórios, CAPS AD e CAPS IJ e UPA.

Sobre a necessidade de cada unidade de saúde, o Prefeito Paulo de Oliveira e Silva, autor do projeto, buscou ouvir os profissionais envolvidos.

“Nós vamos deixar o SUS de Mogi Mirim como um SUS modelo. Na saúde não tem despesa, tem investimento. Este é um empréstimo bancário com juros subsidiados, que na minha avaliação vai ser o melhor da história de Mogi Mirim. Vai melhorar muito a assistência à saúde em nossa cidade. Os equipamentos necessários foram indicados pelos nossos técnicos, não saiu da minha cabeça. Ouvi de cada técnico o que precisa para modernizar o atendimento”, afirmou Paulo Silva.

Com a implementação será possível, por exemplo, melhorar muito a qualidade do atendimento e de exames, reduzindo significativamente o tempo de espera também para consultas para todos os pacientes SUS, que representam 70% da população mogimiriana.

Um novo e moderno tomógrafo computadorizado para exames de corpo inteiro é um dos principais itens a serem adquiridos. Outros importantes equipamentos médicos a serem adquiridos são um Videolaroscópio e um Endoscópio, equipamentos para exames audiológicos, ultrasson fixo, ultrassom portátil, raio-x, câmaras frias para abrigar vacinas, além de 15 novas máquinas de hemodiálise.

Caso o projeto seja aprovado, o empréstimo no valor de R$ 5.380.826,00 deverá ocorrer através do Programa Desenvolve SP, com juros subsidiados de 11%  ao ano, mais SELIC e carência de seis meses a partir da assinatura do contrato a ser pago em 66 parcelas.

  

Comentários