Ministério Público de Campinas faz operação contra crimes de fraudes em licitação e concurso público

O Ministério Público (MP) de Campinas (SP) realizou uma operação na manhã desta segunda-feira (7) contra crimes de fraudes em licitação e concurso público, falsidade ideológica e corrupção em cidades do interior do estado de São Paulo. Equipes do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP) atuaram em apoio aos promotores desde as 6h.

De acordo com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MP (Gaeco), ao todo foram cumpridos, cinco mandados de prisão temporária e 13 de busca e apreensão em cidades da região de Campinas, Bauru (SP) e São José do Rio Preto (SP).

A Polícia Militar de Campinas estava com vinte viaturas divididas entre a metrópole, Jaguariúna, Holambra, Cosmópolis, Cordeirópolis, Santo Antônio de Posse e Nova Odessa. Do total de mandados de busca e apreensão, onze alvos foram procurados nessas cidades.

Os investigados foram encaminhados para a 2ª Delegacia Seccional de Campinas. Já computadores, telefones e documentos aprendidos foram levados à sede do Ministério Público.

Pagamento de propina

A operação foi denominada “Apaniguados”. Segundo o Gaeco, os alvos são especialistas em fraudar concursos públicos, especialmente de consórcios públicos.

O promotor do Gaeco Daniel Zulian afirmou que a fraude começava na licitação da empresa que iria ser terceirizada no concurso. A fraude começou em 2014 e prejudicou cerca de 8 mil pessoas que participaram de concursos públicos que foram alterados. Ele explicou que o esquema alterava os cartões de respostas para ajudar os candidatos que seriam os indicados.

“Havia a participação direta de agentes públicos no esquema criminoso, responsáveis pela indicação dos candidatos que foram favorecidos nos concursos fraudados. Apurou-se, também, que o grupo pagava propina a agente público envolvido nos crimes”, diz o Gaeco.

 


Comentários