Município registra 1º caso e morte por H1N1

Em 2019, a Vigilância Epidemiológica já registrou 10 notificações de casos suspeitos da Influenza e oito já foram descartados. Porém, dos dois que continuam sendo investigados, o primeiro caso positivo de Influenza tipo “H1N1 pdm09” foi confirmado na tarde da última terça-feira, 25. Trata-se de um homem de 81 anos morador de ILPI (Instituição de Longa Permanência para Idosos) que faleceu no último dia 30 de maio. Ele estava internado no Hospital Municipal e foi devidamente medicado com a prescrição indicada para casos suspeitos de H1N1. Portador de pneumopatia crônica e diabetes e tabagista, o paciente havia tomado a vacina no dia 02 de maio, mas não teve uma boa resposta à imunização e ao tratamento.

Como ações imediatas, a Vigilância Epidemiológica já iniciou as investigações para verificar se os demais idosos da ILPI foram imunizados. “Em casos suspeitos ou confirmados sempre verificamos se há pessoas vulneráveis ou não imunizadas que tiveram contato com o paciente. Mas, para todos, os cuidados são os mesmos: evitar ambientes fechados, lavar bem as mãos e usar álcool em gel”, enfatizou a chefe do setor, Josemary Apolinário.

Além desse 1º caso positivo, a Vigilância Epidemiológica de Itapira também aguarda o resultado de outro caso suspeito. Este também é um homem de 83 anos morador da Vila Pereira que faleceu no último dia 04 de junho na Santa Casa. O Instituto Adolfo Lutz é o responsável pela análise e a expectativa é que o resultado chegue ao município nos próximos dias. O protocolo de notificações indica apenas o registro de casos clínicos graves de gripe e envio de exames para análise.

Cobertura

A cobertura vacinal contra a Influenza no município está em 88,35% (18.962 pessoas) dos 90% estipulados pelo Ministério da Saúde: Crianças 75,03%, Gestantes 97,97%, Puérperas 229,29%, Idosos 87,08%, Professores 114,37%, Profissionais de Saúde 90,26%, Comorbidades 90,35%.

Desde o último dia 3 a imunização segue liberada para o público geral.  Para tomar, basta procurar uma Unidade Básica de Saúde e apresentar a carteirinha de vacinação. A aplicação continua até que se esgote o estoque do município.

 


Comentários