PALAVRAS DE UM PÁSSARO

Uma ficção que corresponde a uma verdade
Por favor, deixe-me viver, pois a natureza criou-me para voar e ser feliz, igual a você. Eu sou um simples pássaro, trabalho muito, carregando alimentos para meus irmãos, embelezando os céus. O sol, a lua, as estrelas são testemunhas de que posso viver em liberdade.

Nós não cobramos nada – construímos de forma simples nossos abrigos, nossa sociedade. Ajudamos uns aos outros para que a vida seja perenizada e, consequentemente, preservada. Assim que deve ser para todos animais, sem exceção.

E vocês, humanos, são assim?

Pelo o que vejo diariamente do alto de uma árvore, vocês se acham os donos do mundo, escolhidos por Deus, supostos “seres superiores”, os favoritos da divindade, brincando com nossas vidas, não é mesmo?

É verdade que há muitos humanos bondosos, solidários, de alma elevada e justa, ajudando aos outros irmãos necessitados. O amor cristão, nessa hora, está presente e reconheço isso!
Mas, por que esse mesmo amor não pode ser estendido a todos nós?

Pássaro cita os outros seres sencientes explorados e mortos
Grande parte dos humanos não é assim e ainda persegue meus outros irmãos animais, pobrezinhos e indefesos. E movidos por essa suposta superioridade, vocês, humanos, matam meus irmãos bois, vacas, bezerros, galinhas e outros impiedosamente, como se eles não sentissem dor nem saudade do afastamento de seus familiares para morrerem em abatedouros, muitos deles ainda filhotes.

Está escrito em Gênesis 1:29 – e acrescentou DEUS – “Eis que vos dou todas as plantas que nascem por toda a terra e produzem sementes e todas as árvores que produzem frutos, esse será o vosso alimento”.

Sendo assim, por que matar um animal ou outros animais para a alimentação humana? A lavoura não é farta?

Pássaro clama: “Poupem-nos em nome do amor”

Busquem nos frutos, frutas, nas lavouras o alimento em vez de nos matar. Deixem-nos viver, pode ser? Alguns outros perversos humanos aprisionam-nos em gaiolas para satisfação de seus egos inflados pela desumanidade, pela falta de respeito à vida dos animais. Por que isso? Não entendo!

Quem aprisiona um animal não valoriza a liberdade de outro ser vivo. Quando ouvimos o chilrear de um pássaro na gaiola, não é de felicidade, mas, de solidão, chamando um companheiro para libertá-lo. Vocês, humanos, sabiam disso? Creio que não!

Nós, pássaros, nascemos para ser livres, voar em nome da felicidade e não sermos objetos ou brinquedos para ser humano se deleitar ou apreciar. Respeitem nossas vidas!
Muitos de vocês destroem as florestas, nossa morada, com queimadas, esquecendo que agredindo à Mãe Terra, estão agredindo a vocês mesmos, pois a natureza sabe se defender e se manifestar na hora certa. Nada passa despercebido para essa nossa mãe. Destruir florestas é ato superior? Vocês precisam deixar de imaginar que são donos do mundo. São criações de Deus assim como todos nós. Respeitem a vida e serão respeitados por ela!

Pássaro lembra que a vida é um direito de todos
A vida é um direito de todos na natureza. A ninguém foi outorgada a liberdade para aprisionar, matar nenhum dos meus irmãos ou maltratá-los. Tenham piedade de todos nós!
Em vez de considerarem-se superiores, pensem apenas que superior é a bondade, o amor ao próximo. E se a Mãe Terra resolvesse selecionar os que têm direito à vida, será que vocês, humanos, ficariam satisfeitos com esse nefasto arbítrio? Acho que não!

Por favor, deixem-nos viver em paz, voar sobre os lindos campos verdes e frondosas árvores, Deus nos criou assim, como também a todos meus irmãos animais de diversas espécies. Gostamos de viver e não queremos ser perseguidos pela maldade humana.

Nesse exato momento em que você lê essas minhas palavras ou súplicas, milhões de animais estão sendo abatidos em abatedouros, um horror sem limites. Por que isso? Podem acreditar, pois, nós sentimos como todos vocês sentem. Quando um bezerro é afastado de seus pais para ser abatido, todos sofrem demais – o bezerro e os pais pela dor da terrível separação que será para sempre. Isso está certo? Creio que não!

Pássaro carrega a dor e o sofrimento causados pelos humanos
Eu sou apenas um simples pássaro, carregando comigo a dor e o sofrimento causados pelos humanos que se consideram donos de nossas vidas.
Quando os humanos aprenderem a voar no céu de seus corações, a vida será diferente, maravilhosa, terão suas almas grandiosas e entenderão definitivamente que somos todos irmãos, como dizia São Francisco de Assis em seu momento de superior inspiração: eu sou irmão do sol, da lua, das águas dos rios e mares; eu sou irmão das estrelas que encantam as noites; sou irmão dos ventos que acariciam as montanhas, das árvores e das plantas que nos alimentam; eu sou irmão de todas as manifestações de vida; eu sou irmão dos queridos animais.

Gilberto Pinheiro é jornalista, palestrante em escolas, universidades, destacando a senciência e direitos dos animais. “Somos o coração, a alma, a voz dos animais”. Contato: gilberto_pinheiro@yahoo.com.br.

 

  

Comentários