Pesquisadora brasileira participa de reunião do IPCC

A pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) Magda Lima esteve em Minsk, República de Belarus, de 29 a 31 de agosto de 2016, para participar de reunião do Painel Intergovernamental de Mudança do Clima (IPCC) destinada à discussão sobre o escopo do Relatório de Metodologias para o refinamento das Guias de Inventário Nacional de Emissão de Gases de Efeito Estufa do IPCC, publicadas em 2006 (2006 IPCC Guidelines).

Esta reunião aconteceu na sequência da 43ª Sessão do IPCC, ocorrida em 11-13 de abril, em Nairobi, Kenia, onde foi aprovada a proposta de “Refinamento do Guidelines para Inventários Nacionais de Gases de Efeito Estufa, de 2006″, incluindo a produção de um Relatório de Metodologias. Este relatório está previsto para ser lançado em 2019.

“Há muitas oportunidades de refinamento e de melhoramento observadas a partir da última versão dos Guidelines, além do grande número de pesquisas realizadas desde 2006, incluindo novas fontes e sumidouros de gases, explica Magda. Há também possibilidade de aprimorar novos fatores de emissão de gases de efeito estufa, bem como de ajustar métodos e complementar informações. Além disso, serão identificadas fontes de gases ou de sumidouros onde havia algumas lacunas, uma vez que novas tecnologias e processos de produção emergiram de 2006 para cá”, enfatiza.

Foram formados grupos de trabalho em cada tema-chave (energia, resíduos urbanos, indústria, áreas úmidas, e AFOLU, o qual reúne os temas de agricultura, florestas e uso da terra). Por sua especialidade, Magda participou do Grupo relacionado ao tema da Agricultura, que tratou de temas como fermentação entérica, dejetos animais, solos agrícolas, queima de resíduos, e arroz inundado, com apontamentos de falhas e oportunidades para refinamento. A pesquisadora foi a única especialista presente no tema de arroz inundado, mas com participação nos demais temas.

“Não se espera a geração de um substituto para o Guidelines de 2006, mas sim um guia suplementar trazendo novos elementos para a elaboração de inventários à luz dos avanços já alcançados na pesquisa sobre esta temática, incluindo aqueles produzidos em nosso país”, complementa.

O documento terá novas formas de apresentação, com tabelas, exemplos, ilustrações, e um grande esforço deverá ser feito para concretizá-lo. Vale ressaltar também a importância da contribuição de grande número de especialistas que apresentaram sugestões e apontamentos de melhorias para as guias de inventários de emissão de gases de efeito estufa de 2016, cuja compilação tem sido operada por especialistas nos diferentes temas.

Matéria: Cristina Tordin

Foto: Hotel Renaissance de Minsk, de João Wagner

Foto: Hotel Renaissance de Minsk, de João Wagner

  

Comentários