Prefeitura promove seminário e lança projeto “Mãos Empenhadas” em Estiva Gerbi

Na noite da última quinta-feira, 17, a Prefeitura de Estiva Gerbi com o apoio do diretor-presidente regional do Sindicato Nacional da Beleza Pró-Beleza e diretor-presidente do Sindicato Sindibeleza de Mogi Guaçu e Região, Olivano Pereira da Silva, realizou no Centro Educacional “Alberto de Souza”, o 1º seminário “Mãos emPENHAdas” de violência contra mulher. Um grande público marcou presença no evento que recebeu autoridades e personalidades políticas da região, profissionais de diversos setores e sociedade civil.

Lançado em 2017, o projeto Mãos EmPENHAdas foi idealizado pela juíza Jaqueline Machado, titular da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul e tem como objetivo a capacitação de profissionais de beleza e estética para identificar sinais de violência contra as mulheres entre suas clientes e também conscientizar mulheres sobre diversos tipos de violência, desde as mais fáceis de serem identificadas, como a violência física e sexual, até as mais sutis, como violência psicológica, humilhação, controle financeiro e manifestações de machismo.

O projeto obteve o engajamento dos alunos da rede municipal de ensino de Estiva Gerbi, onde cerca de 600 alunos desenvolveram trabalhos artísticos para enfatizar a luta contra a violência da mulher além de apoiar e estimular as mulheres que sofrem com a violência doméstica ou familiar a denunciar o agressor. No final do evento, 40 alunos vencedores dos melhores trabalhos foram premiados pela secretaria municipal de educação. No próximo dia 25 os trabalhos serão expostos na cidade de Sorocaba e posteriormente na capital paulista.

O seminário contou com a participação da anfitriã, a prefeita Cláudia Botelho, além das presenças ilustres do presidente da OAB de Mogi Guaçu, Antonio Mello Martini, da advogada e presidente da comissão da mulher da OAB, Fabiana Gomes Ferminiano, da secretária municipal de segurança de Mogi Guaçu, Judite de Oliveira, da vereadora de Rio Claro e presidente do MDB mulher do estado de São Paulo, Maria do Carmo, do presidente da Câmara de Estiva Gerbi, Antonio Cavenaghi, do vereador de Estiva Gerbi, Adevanil Moreira, da vereadora de Mogi Mirim, Sonia Modena, da professora universitária e ativista, Samantha Lodi, do diretor das faculdades Maria Imaculada, Romildo Morelato Junior, da presidente do CMDM de Mogi Mirim, Fátima Fernandes, da jornalista e mediadora da Fundação Ulysses Guimarães, Silvia Venturoli, da assessora da vice-prefeita de Mogi Mirim e vice-presidente do CMDM de Mogi Mirim, Rosemary Telles, da esteticista, Genaína Benati, da funcionária da UNICAMP, Lucy Peroto, da vice-presidente do CMDM de Estiva Gerbi, Cláudia Zanco, da secretária do CMDM de Estiva Gerbi, Regina Célia Bueno, da diretora municipal de educação de Casa de Branca, Ivanilde Moreira, da psicóloga do departamento de saúde de Aguaí, Marta Perina, da secretária de desenvolvimento social e família de Aguaí, Catarina Segeren, do engenheiro e presidente da associação dos engenheiros e arquitetos de Itapira, Juliano Boretti, do advogado e diretor da Câmara Municipal de Estiva Gerbi, Sebastião Reis, da secretária de ação social de Estiva Gerbi, Rosiane Rodrigues e de membros do CMDM – Conselho Municipal de Defesa da Mulher de Estiva Gerbi.

O presidente da OAB de Mogi Guaçu, Antonio Mello Martini, em seu discurso, destacou a iniciativa da administração municipal em desenvolver parcerias para acolher e oferecer serviços para melhor atender a população. “No próximo ano pretendemos com o apoio da prefeita Cláudia, inaugurar um espaço em Estiva Gerbi para oferecer os serviços de assessoria jurídica da OAB as quais prestamos em Mogi Guaçu gratuitamente, com isso, facilitará o atendimento a população estivense, principalmente às mulheres.

Para o diretor-presidente do Sindicato Sindibeleza de Mogi Guaçu e Região, Olivano Pereira da Silva, o projeto visa a participação das profissionais de beleza no apoio às mulheres em situação de violência doméstica e familiar com a finalidade de salvar vidas, “nosso foco principal é unir os profissionais da beleza e sociedade civil para não só combater a violência contra mulher, mas oferecer também apoio, ajuda profissional e muito mais, destacou Olivano.

De acordo com a anfitriã do evento, a prefeita Cláudia Botelho, o projeto precisava também ser discutido com as crianças e jovens e principalmente, nas escolas. “Nós da administração municipal, resolvemos levar o projeto “Mãos emPENHAdas” para as escolas e o resultado foi fantástico. É preciso multiplicar a conscientização entre homens e mulheres sobre a violência doméstica familiar.

Parabéns aos alunos, professores e toda secretaria de educação pelo brilhante resultado do trabalho realizado”, enfatizou a prefeita.

 


Comentários