Prêmio “Comida Di Buteco” é resultado de 20 anos de trabalho; O ganhador é de Jaguariúna

Matéria: Paula Partyka

“O buteco é um lugar sem sobrenome, mas com muita história. Onde não há cor, porque é colorido por natureza. Onde não existe nacionalidade, mas todos falam a mesma língua. Onde não tem preconceito, religião ou profissão. Onde todos falam de tudo e de todos. O buteco é um lugar onde se faz amizades e se paquera. O buteco é cultura e cumplicidade” (Autor desconhecido)

 

O Bar do Léo, com o petisco “Barriga Coalhada”, foi escolhido vencedor da 10ª edição do ‘Comida di Buteco’ na região de Campinas. O resultado do concurso foi anunciado na segunda-feira, 20 de maio, e foram considerados votos do público e do corpo de jurados, formado por gastrônomos, jornalistas e fãs de boteco.

Pela primeira vez na história do concurso, um bar de Jaguariúna foi o vencedor. O prato que conquistou o paladar do público leva barriga de porco com purê de inhame e coalhada.

Os itens avaliados foram a qualidade do atendimento, higiene do local e temperatura das bebidas. O petisco concentrava 70% do peso da nota e as demais categorias somavam 30%. Além disso, votos do público e dos jurados valiam 50% cada, e a auditoria é feita por um instituto de pesquisa.

O dono do Bar do Léo, Léo, conta que esse resultado vem de um trabalho árduo de quase 20 anos na área. “Eu sou novato no concurso, mas eu tenho uma vasta experiência na parte de restaurante e cozinha”.

Há 15 anos morando em Jaguariúna, Léo já morou em Holambra, gerenciou fabrica de cerveja artesanal entre outras áreas da gastronomia. “Sempre na minha, só adquirindo experiência”, declara.

Para participar do tradicional concurso de cozinha da raiz do país, é por meio de indicações que chegam ao escritório da produção do concurso, por meio das redes sociais, sites, parceiros e estabelecimentos que já participam. Com as indicações em mãos, a equipe do Comida visita os botecos e avalia levando em conta a presença do dono do negócio, ambiente, cardápio, localização, higiene, atendimento, vontade de participar, entre outros. O boteco classificado de acordo com o perfil do concurso é convidado a participar do Comida di Buteco naquela cidade.

Os botecos não pagam para participar do concurso e, selecionados, passam a integrar o grupo seleto de participantes do maior concurso de cozinha de raiz do Brasil. O primeiro contato do concurso com o Léo aconteceu no final de julho de 2018. “Eu nem acreditei. Eu estava com o bar aqui há apenas seis meses”, declara.

A partir daí Léo assinou um contrato no qual deixava explícito não poder realizar qualquer tipo de propaganda sobre estar participando do concurso. Ele conta que a primeira divulgação aconteceu no início de abril de 2019.

Quando dada a largada para o início do concurso, no dia 12 de abril, os botecos só precisavam se preocupar em atender, da melhor maneira possível, o público. Em Jaguariúna, estavam concorrendo também a Bodega do Petisco e Botequim da Estação, mas o petisco ‘Barriga Coalhada’ do Léo foi o mais bem avaliado dentre todos os participantes.

“Eles falaram que tinha que fazer um petisco no valor de R$20 e o tema era livre. Como eu sempre trabalhei com carne de porco, eu puxei por esse lado. Fiz vários testes: joelho, costelinha. Conversava com meus clientes e colhia informações sobre o que estavam achando”, explica Léo sobre o processo de criação do petisco vencedor.

Para Léo, indiferente de quem estava participando, era uma meta fazer um dos melhores. “Quando eu ganhei, chorei. Foi uma lavada na alma. Nesses um ano e meio só quem está acompanhando a gente e que conhece, sabe o que a gente passa para ter essa gratificação”, comemora.

Além do concurso, Léo ganhou o Desafio da Perdigão. O desafio aconteceu paralelo ao Comida di Buteco, com a apresentação de petiscos que utilizem a linguiça calabresa defumada Perdigão em sua composição. Estes aperitivos também são avaliados pelos jurados do Comida di Buteco, sendo os vencedores de cada uma das cidades do Brasil que participam do concurso, premiadas em dinheiro.

“Eu acreditava que íamos ganhar o Desafio da Perdigão pela interação do publico. O ‘Comida Di Buteco’ em si me pegou um pouco de surpresa. Achei que poderia ficar entre os cinco ou os três por estar concorrendo com bares de 40 anos”, conta.

O Bar do Léo teve um aumento de público significativo com a participação no Concurso. Ele conta que chega a atender 200 pessoas num fim de semana, mas não tem ideia de ir para um espaço maior. “O Bar do Léo é isso aqui. Você chega aqui tem um sofazinho, um lugar aconchegante. Não me vejo num lugar maior. Se perderia o encanto de o que é o Bar do Léo”, afirma.

A eleição do melhor boteco do Brasil chega há 20 anos. O maior concurso de cozinha raiz em 21 estados, há 10 anos na região de Campinas.

 


Comentários