Projeto de construção de linhas ferroviárias na região de Campinas é aprovado pelo TCU

A malha ferroviária deve ligar cidades da RMC e favorecer o transporte de passageiros e minério

 

O Tribunal de Contas da União (TCU), com prorrogação antecipada, aprovou a concessão da Ferrovia Malha Regional Sudeste (MRS) até o ano de 2056. A MRS se localiza entre os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Isso significa que poderão ser desenvolvidos projetos que visam o desenvolvimento econômico das cidades e região em torno da malha, como Jaguariúna e entorno. Essas cidades têm um grande potencial que pode ser potencializado pelo projeto no ramo do turismo e da economia. O intuito da MRS é aumentar a malha ferroviária de passageiros.

 

“Isso trará grandes oportunidades de investimentos em nossa cidade, bem como em desenvolvimento social, econômico, infra-estruturas em transportes e turismo”, explica Jr Teixeira, empresário e um dos idealizadores do projeto. Segundo Teixeira, a expansão da malha ferroviária deve aquecer a economia da região e aumentar a infraestrutura das cidades que devem receber os trilhos em breve. Isso mostra que Campinas e região, com ferrovia de passageiros, despertam tecnicamente interesse dos usuários, investidores e governos. 

 

Estudos e pesquisas consolidam densidade populacional com viabilidade econômica na utilização combinada dos trilhos, ferrovias e cargas com terminais ferroviários de passageiros paradouros entre municípios. Parcerias público-privadas avançam em concessões nos pólos de desenvolvimento. As cidades envolvidas no projeto são São José dos Campos, Baixada Santista, Campinas, Ribeirão Preto e Sorocaba. Este grupo de municípios formam também os interesses do tripartite relações Institucionais das três esferas, Federal, Estadual e Municipal de governo”, conclui.

  

Comentários