Sangria Drink e Carpaccio de Polvo: combinação perfeita do Tratterie Holandesa

A transição o inverno para a primavera provou um clima bastante controverso. O calor intenso trouxe um desconforto bem grande. Por isso, dias de sol puro  pedem uma bebida gostosa para refrescar. E a dica do restaurante Tratterie Holandesa  é a Sangria de Vinho Tinto. Aprenda com a Chef Penha Vítor um pouco da história desta bebida.

“Para receber os amigos e acabar com o calor em grande estilo, a sugestão é investir em sangrias, bebida de origem espanhola com vinho e frutas”, sugere a Chef Penha.

 

História 
A Sangria é uma bebida alcoólica espanhola. Tradicionalmente consiste em vinho tinto e frutas picadas, geralmente com outros ingredientes. Provavelmente a bebida mais popular da culinária espanhola. Entretanto não tão explorada e consumida no Brasil.

Sangria borbulhante, sangria rosada, sangria vermelha ou mesmo branca – o ponche de vinho espanhol se afastou muito de suas origens simples que é quase irreconhecível atualmente. Durante anos, as sangrias enfeitam restaurantes com mesas ao ar livre. A sangria parece infinitamente adaptável, vagamente espanhola e longe de qualquer tradição. Mas a história da sangria tradicional remonta – há muito tempo – quando o vinho era misturado com o que estivesse por perto.

 

“Hipocra”

Os primeiros gregos e romanos misturavam seu vinho com açúcar, especiarias e tudo o que havia à mão. Era chamado de “hipocra” e às vezes era aquecido como vinho quente. É provável que o hipocra seja o ancestral comum da sangria e do vinho quente e era consumido em todos os lugares porque a água era cheia de bactérias e perigosa para beber. Um toque de álcool tornava o líquido potável e misturar o vinho diluído dava sabor. As pessoas que viviam na Espanha moderna estavam fazendo algo semelhante com videiras plantadas pelos fenícios por volta de 1.100 a.C. e depois com videiras plantadas pelos romanos depois.

Variações na sangria, em referência ao vinho tinto usado – prevaleceu na Espanha. Tradicionalmente, é feito com Tempranillo espanhol e outro vinho de Rioja com adição de frutas cítricas. Mas, mesmo assim, nenhuma sangria foi feita da mesma forma.

Nas décadas de 1700 e 1800, um estilo de sangria foi feito na Inglaterra e na França usando uvas tradicionalmente francesas. Havia também sangria branca, sangria com gás e sangria feita com pêssegos, chamada zurra. A bebida, em todas as suas formas, teve flashes de popularidade nos EUA em restaurantes espanhóis e em determinados nichos da cidade.

Só vale Europa

Hoje, de acordo com a legislação europeia, toda sangria deve ser feita na Espanha ou em Portugal e ter menos de 12% de álcool em volume.

 

Como preparar a Sangria

Receita 1

Ingredientes

1 laranja-pêra sem casca, sem pele e sem sementes, cortada em pedaços
1 laranja-pêra com casca e sem sementes, cortada em rodelas
1 limão taiti com casca, cortado em rodelas
1 maçã vermelha e 1 maçã verde com casca, cortadas em fatias ou pedaços grandes
1 xícara (chá) de abacaxi cortado em pedaços
1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de cointreau (licor de laranja)
3 colheres (sopa) de brandy
1 garrafa de vinho tinto seco (750 ml)
Suco de 1 limão
1 xícara (chá) de água mineral gasosa
2 paus de canela pequenos

 

Receita 2

Ingredientes
12 uvas Itália
1 xícara(s) de chá de abacaxi picado
1 maçã vermelha, picada e com casca
1 laranja-pera, picada e sem casca
4 fatia(s) de banana-da-terra
4 fatia(s) de manga madura
1 dose(s) de licor Cointreau
1 dose(s) de rum carta ouro
1 de vinho branco seco
açúcar a gosto
gelo a gosto
1/4 xícara(s) de chá de soda limonada (50 ml)

 

Com o que combina?

A Sangria vai bem com o Carpaccio de Polvo, como sugere a Chef Penha. No Tratterie Holandesa você encontra o melhor Carpaccio de Polvo da região. Faca já a sua reserva e venha saborear esta iguaria!

  

Comentários