fbpx

Tempestade em Mogi Guaçu resultou em grandes consequências

O rescaldo da tempestade que atingiu Mogi Guaçu na véspera mobilizou diversas equipes da Prefeitura e da Elektro nesta sexta-feira, dia 21 de outubro. Foi um dia de intensos trabalhos de limpeza e desobstrução de galerias pluviais e remoção de árvores que não resistiram à força dos ventos, algumas arrancadas desde a raiz.

Estima-se que pelo menos 50 árvores de pequeno, médio e grande porte foram atingidas, a maioria em praças e áreas verdes. A prioridade foi desobstruir vias públicas e remover as que ofereciam mais riscos. Galhos de uma árvore de grande porte existente canteiro central da Avenida Londrina se desprenderam e atingiram a rede elétrica, interrompendo o fornecimento de energia no Jardim Ypê II e Jardim Ypê III.

O impacto partiu um poste, que atingiu uma residência do Ypê II, mas ninguém se feriu. O acidente rompeu cabos de energia das redes primária e secundária. Desde a manhã e ao longo do dia, equipes da Elektro trabalharam na reparação do sistema, substituindo o poste destruído e recolocando outro no prumo, justamente o que sustenta um transformador.

Os demais postes da extensão rompida não foram danificados, mas as cruzetas do cabeamento e algumas luminárias precisaram ser trocadas. No Jardim Ypê III também houve danos à rede elétrica, reparados por outra equipe da Elektro, o mesmo ocorrendo no Jardim Cambuí.

Um poste que foi partido ao ser atingido por parte da cobertura de um sobrado na Rua Aguaí, no Jardim Santo Antonio, foi trocado no início da tarde. Além das equipes da Elektro, diversas equipes de operadoras de telefonia trabalharam em diversos pontos onde cabos de comunicação foram arrebentados durante o temporal.

O abastecimento de água foi prejudicado pela falta de energia, mas desde o início da noite desta quinta-feira começou a ser restabelecido e deve ser normalizado neste final de semana.

O número de escolas municipais em que as aulas foram suspensas devido à falta de energia e estragos causados pelo temporal subiu de cinco, de manhã, para nove, à tarde. Uma estadual também foi prejudicada.

Das municipais que foram prejudicadas de alguma forma, apenas a EMEF “Maria Júlia Bueno”, da Vila São Carlos, não teve aulas somente no período da manhã, funcionando normalmente na parte da tarde.

As aulas foram suspensas nos dois períodos nas EMEF “Adirce Cenedeze Caveanha” (Ypê V) e “Emília Vedovello Pedroso” (Ypê III), e nas EMEI “João Veridiano Franco” (Ypê II) “Hermínio Zanco” (Jardim Santo André), “José Maria Rangel” (Ypê V), “Eva Aparecida Estancial Teodoro” (Ypê VI), “Francisca de Lima” (Vila São Carlos) e “Adriana Missio” (Jardim Nossa Senhora das Graças). As atividades voltam ao normal na segunda-feira.

A escola estadual é a “Professora Ângela Paixão”, situada no Jardim Boa Esperança, também na região dos Ypês.

Atípico

O temporal atingiu bairros das zonas Norte e Leste do entorno da região central da cidade, mas nenhum dano causou na região Sul de Mogi Guaçu, com exceção da queda de energia. Segundo a Defesa Civil, em uma hora e meia choveu 48 milímetros, o que corresponde a 48 litros por metro quadrado e equivale a três dias de chuva em condições normais.

Nas 24 horas compreendidas no período das 7h de quinta às 7h desta sexta, o índice pluviométrico médio foi de 51,6 milímetros, segundo dados do CIIAGRO. Para o final de semana, a Defesa Civil de Mogi Guaçu trabalha com a previsão de 6 milímetros para as 24 horas entre as 7h desta sexta, em que o tempo permaneceu estável e ensolarado,  e as 7h deste sábado.

Matéria: Prefeitura de Mogi Guaçu

  

Comentários