fbpx

Walter Caveanha é empossado e assume o seu quinto mandato

Na manhã deste domingo, dia 1º de janeiro, amigos e familiares acompanharam a cerimônia de posse dos eleitos em 2016 para o Executivo e Legislativo guaçuano, que aconteceu na Câmara Municipal de Mogi Guaçu. A cerimônia se estendeu por pouco mais de duas horas e foi presidida pelo vereador mais votado Jéferson Luís da Silva (Prós) e secretariada pelo vereador Thomaz de Oliveira Caveanha (PTB).

Compuseram a mesa também a tenente Fernanda Magrini, representando o  comandante do 26º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM/I), major Ricardo Augusto Nascimento de Mello Araújo; o comandante do 2º Subgrupamento de Bombeiros de Mogi Guaçu, capitão Alexandre Riquena Costa; o comandante do Tiro de Guerra de Mogi Guaçu, subtenente Carlos Alexandre Perini da Silva; a advogada Camila Frassetto representando a 61ª Subseção de Mogi Guaçu da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a presidente da Associação Comercial e Industrial de Mogi Guaçu Sônia Isabel Carinhato Zanuto.

A Orquestra Sinfônica da Corporação Musical Marcos Vedovello, regida pelo maestro Benedito Carvalho, executou o Hino Nacional e de Mogi Guaçu, além de apresentarem as músicas Carinhoso de Pixinguinha e Aquarela do Brasil de Ary Barroso.

Os líderes de cada bancada puderam subir ao palanque para discursar. Fizeram o uso da palavra os vereadores eleitos Elias dos Santos, o Pastor Elias (PSC); Fabio Aparecido Luduvirge Fileti, o Fabinho (PSDB); Guilherme de Sousa Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD); Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP); Natalino Tony Silva (Rede); Thomaz de Oliveira Caveanha (PTB) que cedeu parte do seu tempo para Rodrigo Falsetti (PTB) e Jéferson Luis da Silva (Prós).

Em sua fala o vice-prefeito eleito Daniel Rossi (PR) disse que irá batalhar por Mogi Guaçu e auxiliará o prefeito Walter Caveanha no que for preciso, caso ele o chame. “Pois trabalho, seriedade e força de vontade não faltarão”, enfatizou. O vice-prefeito também fez um pedido especial para o prefeito reeleito para que ele tenha um carinho a mais com o Distrito de Martinho Prado Júnior e as Chácaras Alvoradas.

Último a discursar o prefeito Walter Caveanha disse ser um privilegiado pelo destino ao assumir a Prefeitura de Mogi Guaçu pela quinta vez. Destacou que no início da sua quarta gestão herdou uma dívida de R$ 127 milhões. “Dos 127 milhões que herdamos restam 28 milhões”, apontou e ainda concluiu “Não é desprezível o que conseguimos fazer sem prejudicar os básicos”.

Após a cerimônia de posse na Câmara Municipal, o prefeito e o vice-prefeito se direcionaram ao Paço Municipal para realizar a cerimônia de transição de governo. De acordo com o Chefe de Gabinete, Bruno Franco de Almeida, os cofres públicos estão com um montante de R$ 33 milhões, sendo que R$ 7 milhões são de contas movimentáveis e R$ 26 milhões em contas vinculadas.

Apesar de iniciar o mandato com dinheiro em caixa Caveanha fez um alerta aos seus secretários e a população. “Esse início de governo será pior do que o anterior na questão do nível de despesas, temos que economizar o máximo possível, pois não sabemos como será a situação nos próximos seis meses”.

Eleição na Câmara

Após as cerimônias de posse e de transição os vereadores se reuniram mais uma vez para fazer a eleição da mesa diretora para o biênio de 2017/2018 da 17ª Legislatura.

Por unanimidade foram eleitos os vereadores Luiz Zanco Neto, o Luizinho da Farmácia (PTC); Elias dos Santos, o Pastor Elias (PSC); Thomaz de Oliveira Caveanha (PTB); Rodrigo Falsetti (PTB); Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP) e Francisco Magela Inácio, o Chicão do Açougue (PSD), respectivamente para os cargos de Presidente da Câmara, 1º Secretário, 2º Secretário, 1º Vice-Presidente, 2º Vice-Presidente e 3º Secretário.

  

Comentários