A casa agora é dos pets e não das crianças

Médica veterinária Ana Cláudia Alves Bengezen

Pesquisa do IBGE revela que, no Brasil, o número de famílias que criam pets já é maior do que o de famílias que têm crianças

Matéria: Kely Bezerra

Os bichinhos de estimação nunca foram tão acolhidos, mimados, enfeitados, bem cuidados e desejados no Brasil quanto agora. Nunca mesmo! Uma questão incluída na Pesquisa Nacional de Saúde – parte de um levantamento inédito realizado em 2013 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – mostrou que o número de cães nos lares brasileiros superou o de pequenos humanos: de cada 100 famílias no país, 44 criam cachorros, enquanto só 36 têm crianças. Essa pesquisa apontou a existência de 52 milhões de cães e 22 milhões de gatos de estimação.

Hoje em dia, muitas pessoas dão grande importância à presença de animais dentro de casa, considerando-os necessários para tornar um lar feliz. Há, por exemplo, idosos que moram sozinhos e amenizam a ausência da família criando animais de estimação para lhes fazer companhia, tratando-os com todo o carinho e a atenção que for necessário. Até mesmo casais que não têm filhos, por motivos diversos, optam por criar um ou mais animaizinhos como “filhos”, oferecendo tudo o que for possível para o bem-estar e a diversão deles.

A médica veterinária, Ana Cláudia Alves Bengezen, do Centro Veterinário, afirma: “Em minha experiência de 15 anos pude observar uma mudança significativa no convívio dos pets com os seus tutores. Hoje em dia, eles não são apenas pets; agora são membros da família e, muitas vezes, considerados filhos, netos e até mesmo irmãos”.

Já se foi o tempo em que cães e gatos – os animais domésticos mais próximos do convívio humano – viviam somente no quintal das casas e morriam de velhice. Hoje, eles dormem na cama dos seus donos e sofrem de doenças que acometem o ser humano, como colesterol, diabetes, pressão alta, problemas renais e câncer. Há os que são levados a psicólogos e usam psicotrópicos para combater o estresse e a depressão. Muitos são tratados como bebês, “lindinhos da mamãe e do papai”. Alguns se vestem de Papai Noel no Natal, usam joias caras, ganham festas de aniversário, entre outros mimos.

Um reflexo da humanização dos pets: quando seus donos os tratam como seres humanos, eles se tornam obesos. A convivência já é tão próxima que até a alimentação deles não se restringe apenas às rações ou aos biscoitinhos feitos para animais. Eles querem e estão ganhando comida de gente. A cena de um cãozinho lambendo um sorvete pode ser engraçada, mas é preocupante. Se o excesso de calorias pode fazer mal aos humanos, imagine aos animais.

Além de consumirem alimentos inadequados, muitos pets acompanham a rotina de sedentarismo de seus donos. As atividades de lazer que todo animal de estimação deve ter, como correr, brincar e exercitar seus sentidos – características próprias de um animal – estão sendo deixadas de lado. E, assim, não há saúde que aguente.

“O lado complicado que vejo nessa humanização dos pets é que também estão aparecendo com mais frequência na rotina clínica doenças, como obesidade, diabetes, depressão, crise de ansiedade pela separação”, declara a médica veterinária.

Bengezen ressalta: “Trata-se de uma relação positiva. Até foi comprovado que o contato com um animal pode liberar hormônios que dão a sensação de alegria. Isso tudo é muito bom, pois os nossos peludos merecem todos os cuidados e carinhos, mas existe um limite que deve ser respeitado para o bem de ambos”.

A convivência com os animais não deve ser baseada em excessos e sim em cuidados especiais e muito carinho. Só dessa forma, os problemas dos humanos não atingirão os nossos amigos de quatro patas. Animal é companheiro, não um reflexo do dono!

Centro Veterinário

O Centro Veterinário conta com o laboratório UltralabVet e a Clínica Veterinária 07 Vidas, tudo em um só lugar. Com uma estrutura ideal para atendimentos veterinários, vacinações, internações, cirurgias e anestesia. O Centro Veterinário conta também com especialistas da área de silvestres, oftalmologista, cardiologista e oncologistas.

No laboratório UltralabVet é possível realizar exames de sangue, radiografias e ultrassonografia animal, contando ainda com laboratório de apoio para exames mais específicos.

 

 

 

 

Médica veterinária Jaqueline Custodio

 


Comentários