Adesão à greve de caminhoneiros é incerta

Mesmo antes dos caminhoneiros iniciarem o movimento grevista em busca de melhorias para os motoristas de caminhões, principalmente os autônomos que vem sofrendo bastante com as altas frequentes nos combustíveis.

A Advocacia Geral da União (AGU) se adiantou e entrou com 36 ações para tentar frear a paralisação dos caminhoneiros, afirmando em garantir o livre acesso de pessoas e cargas dentro do país.

O trabalho em conjunto da Casa Civil, Ministério da Infraestrutura e Advocacia Geral da União é para impedir o bloqueio de rodovias durante a manifestação dos caminhoneiros e consequentemente tentando minimizar o movimento da classe.

O ministério da Infraestrutura afirma que destas 36 ações, 24 foram deferidas em diversos estados brasileiros, ou seja, caminhoneiros que obstruir rodovias serão penalizados.

Caminhoneiros vem de uma semana cheia de protesto contra alto nos combustíveis até mesmo na gasolina que vem chegando ao patamar de R$ 8 reais. Os seguintes estados foram favoráveis ao governo: Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Paraná, Pará, Bahia, Mato Grosso, Goiás, Rio Grande do Norte, Alagoas, Paraíba, Maranhão e Tocantins.

Fonte: Brasil do Trecho
  

Comentários