Alunos da rede pública participam de palestra sobre Arqueologia

Os alunos do ensino fundamental da EMEIEF ‘Mariza Franco de Oliveira Paes’ e da EMEIEF ‘José Forner’, tiveram uma aula diferente nesta semana. Eles receberam a visita do arqueólogo Me. Anderson Rogério de Oliveira Tognoli, para uma palestra sobre a importância do patrimônio arqueológico.

Durante a palestra, Tognoli apresentou para os alunos, através de várias peças arqueológicas encontradas na região, a importância de preservação e conservação do patrimônio cultural. “Eu converso com os alunos sobre o papel da Arqueologia, do arqueólogo em nossa sociedade e sobre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), órgão responsável por fiscalizar estes bens. Através de algumas peças arqueológicas relacionadas a Tradição Tupiguarani, disponibilizadas para fins didáticos pelo Museu Franco de Godoy do município de Mogi Guaçu, eles podem conhecer de perto esses artefatos, saber do uso de cada utensílio, e sobre o processo de construção. Também apresento um panorama em relação aos sítios arqueológicos cadastrados em nossa região, e dos grupos que viveram por aqui”.

Tognoli é doutorando em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP), e está desenvolvendo um Projeto de Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico (PAIPA) em uma área em Engenheiro Coelho.

Essa investigação tem como objetivo, verificar a presença de vestígios arqueológicos que indiquem uma ocupação humana no passado, e por sua vez, atender as exigências do IPHAN para liberação de uma área para um empreendimento residencial. “Eu já fiz análise em cerca de 80% da área, e até o momento, não foi encontrado material. Caso seja verificado, nos comunicamos o IPHAN sobre os achados e posteriormente é realizado um projeto de gestão do patrimônio arqueológico”.

Segundo Luceli Aparecida Dingos Teresani, diretora da EMEIEF Mariza Franco de Oliveira, os alunos adoraram a palestra. “Foi muito interessante ver a reação dos alunos podendo ver de perto essas peças arqueológicas. Eles adoraram”.

Após a conclusão dos trabalhos interventivos e não interventivos, todas as informações serão encaminhadas na forma de um relatório ao IPHAN, no qual, poderá emitir a autorização para o início das obras.

  

Comentários