Atenção à Primeira Infância reduz índices negativos do desenvolvimento infantil

Jaguariúna está colhendo na prática os resultados positivos de políticas públicas implantadas com o objetivo de reforçar a atenção à primeira infância, que compreende o período de zero a seis anos de idade, e, consequentemente, incentivar o pleno desenvolvimento infantil.

Um dos indicadores que retratam essa mudança na cidade foi a redução de 33% na mortalidade infantil de 2016 para 2017, além da expressiva queda de 90% no número de crianças nascidas abaixo do peso.

A diretora municipal de desenvolvimento de sustentável, Carolina Lima, explicou que esses resultados já refletem diretamente o compromisso assumido pelo município em implementar ações em sintonia com os países mais desenvolvidos do mundo.

“Seguindo diretrizes da Organização Mundial da Saúde, Jaguariúna passou a investir desde o ano passado em políticas públicas específicas para uma das fases mais importantes da vida que compreende o período de zero a seis anos. Temos medidas pontuais desde o início da gestação e o reflexo é esse: as crianças estão nascendo mais saudáveis na cidade, o que gera um círculo virtuoso que se fortalece com ações de acompanhamento ao longo de toda a primeira infância”, detalha a Diretora Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Carolina Lima.

As políticas públicas desenvolvidas neste sentido seguem os objetivos estabelecidos pela ONU que traça metas a serem cumpridas até o ano de 2030. Jaguariúna assinou a carta compromisso dessa Agenda 2030 em 2017 e passou a compor o programa “Cidades Sustentáveis” de forma inédita na Região Metropolitana de Campinas (RMC).

Entre as ações desenvolvidas está a ampliação do número de exames de pré-natal na rede pública municipal. Enquanto no país, a legislação determina a realização de sete pré-natais, Jaguariúna disponibiliza às gestantes 12 consultas deste tipo de forma gratuita.

A ginecologista e obstetra que atende na rede municipal, Benedita de Fátima Machado de Sousa, reforça a importância desses atendimentos durante todo o período de gestação especialmente para a identificação de possíveis problemas precoces na formação do feto e a realização de tratamentos adequados conforme a necessidade da gestante e do bebê.

“As consultas de pré-natal são muito importantes, já que muitas vezes conseguimos ter diagnósticos de doenças durante a gestação, o que em muitos casos, nos permite cuidar de forma intrauterina do problema e solucioná-lo antes mesmo do nascimento. Quanto mais consultas, maiores as chances dos diagnósticos e também maior a probabilidade da criança nascer saudável, item primordial em todo o desenvolvimento infantil.”

Outra ação do município com a finalidade de favorecer as mulheres gestantes foi a de ampliar o período de licença maternidade. Enquanto a lei trabalhista estabelece quatro meses de afastamento, as servidoras públicas de Jaguariúna têm o direito de se dedicar por seis meses ao filho recém-nascido.

Além dos benefícios da amamentação que se torna mais viável com esse período estendido, essa ação também está baseada em análises de profissionais da psicologia que apontam que o contato entre mãe e filho nos primeiros meses de vida impacta positivamente em todas as fases do indivíduo.

A psicóloga Priscila Junqueira tem experiências de dentro do consultório que atestam o quanto o cuidado na primeira infância faz diferença na vida adulta.

“Políticas públicas asseguram o vínculo familiar, de proteção e afetividade. Todas elas são estímulos para que as crianças possam se desenvolver plenamente. Hoje é comum termos adultos com falta de autonomia e maturidade, sendo que quando chegam aos consultórios para terapias vemos que os problemas vem lá dos primeiros anos de vida. Investir nesta fase inicial é proteger as infâncias seguintes, a adolescência e também a vida adulta”.

MOMENTO FUNDAMENTAL PARA OS ESTÍMULOS INFANTIS

Há vários estudos que comprovam a eficácia desses investimentos no desenvolvimento infantil. Um estudo da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos apontou que é por volta dos dois anos de idade que o cérebro humano atinge o seu pico de atividade, conseguindo estabelecer até 700 novas conexões neuronais por segundo. Esso número é quase o dobro de sinopses que se executa quando o indivíduo chega aos dez anos.

Para a médica pediatra Fernanda Rita Aranha Rogel, que atende na rede de saúde pública de Jaguariúna, as crianças têm uma real necessidade do cuidado, principalmente nos primeiros anos de vida, o que engloba uma alimentação saudável e um ambiente acolhedor.

“Nessa primeira etapa, a criança está aberta e suscetível aos mais variados incentivos e estímulos, sendo esse período uma grande oportunidade para que se proporcione um pleno desenvolvimento humano. Um programa que traz essas preocupações e destaque práticas como aleitamento materno, nutrição adequada, vacinação efetiva e educação em saúde acaba atingindo de fato e de forma direta a qualidade de vida do adulto”.

Em Jaguariúna, o programa que reúne e integra todos esses benefícios é o “Construindo um Novo Tempo”, que proporciona o acompanhamento desde de a confirmação da gravidez até os seis anos de idade. A cada nova fase etária, o programa também evolui para atender as necessidades especificas de seus usuários. No que abrange a primeira infância, a rede pública disponibiliza pediatras e psicólogos, orientações e avaliações periódicas monitorando peso, realizando exames de rotina, acompanhando aspectos emocionais e também as questões de vulnerabilidade social.

Na avaliação da secretária municipal de saúde, Maria do Carmo Pelisão, os resultados alcançados até aqui são altamente positivos e, segundo ela, serão ampliados com a intensificação da atenção à primeira infância com a execução de várias ações e programas voltados ao pleno desenvolvimento infantil.

“Seguimos rigorosamente as metas estabelecidas pela ONU e compreendemos que é de fundamental importância ampliar o alcance das nossas políticas públicas para promover os avanços necessários e capazes de oferecer as condições ideais de desenvolvimento das nossas gestantes e crianças. Contamos com vários programas integrados e planejados especialmente para proporcionar aos usuários da rede pública atendimento humanizado e altamente qualificado neste tão importante período da primeira infância”, destacou.

Os resultados já bastante satisfatórios obtidos até o momento pelo município de Jaguariúna no desenvolvimento infantil vão ao encontro, segundo a diretora municipal de desenvolvimento sustentável, Carolina Lima, à tese defendida pelo economista ganhador do Nobel de Economia do ano de 2000, James Heckman, que entre seus estudos demonstrou que investir na primeira infância pode garantir um incremento de até 60% à renda de um país, além de reduzir problemas sociais como baixa escolaridade, violência e mortalidade infantil.

“Os estudos de Heckman são uma importante referência para nós aqui em Jaguariúna, pois eles relacionam e valorizam os benefícios dos trabalhos desenvolvidos na primeira infância com os avanços da sociedade em diferentes áreas, como educação, saúde e até economia. Temos plena convicção de que todo o esforço e investimento que estamos realizando hoje será revertido num futuro próximo em incontestáveis benefícios a todas as gerações”.

  

Comentários