Câmeras de segurança serão instaladas para coibir abandono de animais no Zoonoses

O abandono de animais tem aumentado a passos largos e é uma preocupação do CCZ (Centro de Controle Zoonoses). Diariamente, animais de todas as idades, em especial filhotes, estão sendo deixados pelas ruas da cidade, inclusive na porta do CCZ. Como objetivo de inibir essa prática, está em processo a instalação de câmeras de monitoramento nas entradas da sede, localizada no Jardim Alvorada.
“Nós estamos lotados e o número de animais abandonados não para de crescer. Somente aqui na frente do Zoonoses tem sido rotina encontrarmos ninhadas inteiras. As pessoas precisam se conscientizar e não abandonar o animal. Nós não temos espaço e não podemos recolher”, ressaltou a Dagmar do Amaral Borges, coordenadora do Centro de Controle de Zoonoses.
De acordo com Dagmar, os casos de abandono aumentaram durante a pandemia, em especial de animais que já haviam sido resgatados das ruas anteriormente. Ela reforça a importância de ter responsabilidade na hora de adotar um cão ou gato e tratá-lo como membro da família. “Ele não é um descarte. Não é um móvel que se pega, usa e descarta porque ficou obsoleto dentro do espaço”, disse.
Dagmar lembrou que o abandono de animais é crime. Por isso, as pessoas identificadas serão multadas e podem ser processadas. A lei municipal nº 5124/2018, que dispõe sobre o tema da proteção animal, prevê multas nos valores de R$ 500 a R$ 10 mil. Em abril desse ano, o prefeito Rodrigo Falsetti deixou claro que a fiscalização e multa seriam endurecidas.
Para minimizar a situação, o CCZ irá atuar em suas frentes: na instalação das câmeras de monitoramento na sede e continuar com o trabalho de adoção. São mais de 80 animais, entre cães e gatos. A ação acontece na sede da CCZ, à Rua Oscar Candido Rodrigues, s/nº, no Jardim Alvorada.
“São animais que estão à espera de um lar e merecem todo amor e carinho. É uma troca feliz”, ressaltou Dagmar.

  

Comentários