CENTRO DE EQUOTERAPIA DE JAGUARIÚNA FOI ATINGIDO POR UM VENDAVAL

O Centro de Equoterapia de Jaguariúna (CEJ) foi atingido no final da tarde da última terça-feira, 7 de janeiro, por um vendaval cuja ação ocasionou a queda de ao menos 30 árvores e culminou com a destruição da lataria de dois veículos de trabalhadores, além do destelhamento. Segundo o presidente do Centro de Equoterapia, Wilson Melillo, felizmente ninguém se feriu – tanto os empregados quanto as crianças assistidas pelo projeto – já que, durante a ocorrência, nenhuma atividade havia sido programada e, portanto, não havia fluxo de pessoas.

“O vendaval foi muito feio, começou com uma chuva meio fininha, mas logo depois começamos a ouvir um barulho ensurdecedor, que parecia o som de um motor girando. Durou cerca de uns dez segundos, mas o estrago foi muito grande. Graças a Deus, ninguém foi atingido. Temos que comemorar e agradecer muito a Deus por isso”, ressalta.

Em relação aos custos com os reparos a serem feitos, Melillo afirma que ainda está orçando valores e informa que já contratou mão de obra para replantio das árvores e liberação do bosque. “As crianças caminham por lá e precisamos cuidar da segurança delas e também da preservação ambiental”, salienta.

Ele relembra que há cerca de 18 anos, o Centro de Equoterapia passou por um problema semelhante causado por vendaval, mas frisa que não com as mesmas proporções do atual. E revela que o seguro contratado pela entidade cobre incidentes provocados pela ação de fenômenos adversos da natureza (como raios, por exemplo), com exceção de vendavais.

Wilson Melillo assegura que o atendimento não foi comprometido e reforça que os procedimentos de manutenção estão sendo realizados.e residências de funcionários que vivem no local.

Além disso, a estrada que dá acesso às moradias funcionais também ficou intransitável, em razão da vegetação arremessada pela ventania ter obstruído o tráfego. Já a pista para caminhada no bosque teve de ser interditada pela administração, pois foi tomada por galhos e troncos que despencaram com a força dos ventos.

Reportagem: Bruno Giannini

Fotos: Divulgação

 


Comentários