fbpx

Cervejas artesanais ganham espaço no mercado da região

A cerveja é uma das bebidas mais antigas produzidas pelo homem e é a terceira bebida mais popular em todo mundo, atrás da água e do chá e a bebida alcoólica mais consumida. Historicamente, a cerveja já era consumida por egípcios, mesopotâmios, ibéricos e sumérios há pelo menos, a 6.000 a.C. Praticamente qualquer açúcar ou alimento que contenha amido pode, naturalmente, sofrer fermentação alcoólica e isso facilitava a produção nos tempos remotos.

No Brasil, segundo o último levantamento anual da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja, do ano de 2015, 14,1 bilhões de litros de cerveja foram produzidos no último ano no Brasil, o que equivale a 1,6% do PIB nacional. Isso coloco o país em *terceiro lugar na produção mundial, logo atrás da China e dos Estados Unidos.

Ainda existe uma vertente que está em crescimento: o mercado de cervejas artesanais. Segundo dados do SEBRAE, este nicho é impulsionado pela tendência de valorização da sensorialidade e a busca pelo prazer no consumo. Esse aspecto favorece também a análise do custo-benefício feito pelo consumidor, que é refletido pelo lema “beba menos, beba melhor”.

Seguindo esta linha, surgiu a cervejaria “Toca da Mangava”, em 2013 quando o engenheiro de alimentos e cervejeiro, Alfeu Júlio decidiu apostar na produção de cervejas artesanais. “Desde o início da década passada venho produzindo cervejas caseiras, para consumo próprio e dos amigos. Com o tempo e com a grande aceitação das cervejas, esse hobby se transformou em possibilidade de atividade profissional”, afirma o cervejeiro. Após a decisão, Alfeu convidou o amigo e publicitário Eduardo Sousa para colaborar com a ideia e, após um mês de funcionamento, sentindo falta de um colaborador na parte estratégica e administrativa, Carlos Coimbra, o Prof. Coimbra, se juntou ao time.

Alfeu ressalta que as dificuldade foram grandes no início, por conta da burocracia, o que resultou num processo lento de legalização do comércio. “No Brasil nós não temos uma legislação específica para microcervejarias. Assim, as exigências legais são as mesmas feitas para abertura de uma fábrica gigante”, conta. Mas em contrapartida, o cervejeiro afirma que após três ano no mercado a curiosidade das pessoas em relação as cervejas artesanais só aumenta. “A receptividade é crescente e o interesse do público cada vez maior. Mais gente querendo aprender os estilos, aprender a fazer e mais que isso, vivenciar a experiência de beber cerveja de verdade. É um ‘caminho sem volta’”, ressalta Alfeu.

“Toca da Mangava”

Localizada entre a região de Sousas e Joaquim Egídio, a “Toca da Mangava” oferece uma área interna e uma externa, ambas anexas à produção, onde acontece as atividades relacionadas ao conceito “Centro de Cultura Cervejeira”. Nessas áreas acontecem encontros que às vezes podem lembrar atividades típicas de um bar/restaurante, como happy-hours e almoço, até outros muito focados em cerveja, como cursos de produção, degustações, visita com palestra de outros colegas da área, lançamento de cervejas, etc.

Após três anos de produção e comercialização, mais de 3 mil cervejas foram vendidas e isso é motivo de comemoração para os três amigos que batalham pelo sonho de manter uma microcervejaria. Por isso, uma festa de comemoração será realizada no dia 20 de agosto. “Nessa festa em especial, por termos conseguido nosso registro de produção, então agora poderemos fazer nossas cervejas em Sousas, no nosso espaço”, afirma Alfeu. Enquanto uma reforma na produção estava sendo finalizada, as cervejas eram produzidas de forma terceirizada na planta da Cervejaria Dádiva, de Várzea Paulista.

Produção

A “Toca da Mangava” oferece quatro estilos de cerveja, de três escolas distintas. São duas da escola americana (Pretty Woman, uma american blond ale e a Summertime, uma american pale ale), uma da escola belga (a Body and Soul, uma belgian blonde ale) e uma da escola inglesa, a Black Bird, uma smoked porter. Além dessas 4, ao longo do ano são produzidas as sasonais, cervejas específicas para serem bebidas em determinada época do ano.

Quando se trata da produção de cervejas artesanais na região, Alfeu ressalta que embora pequena, dá sinais de crescimento. “Há muito que se caminhar e muita gente ainda para conhecer as possibilidades fantásticas de satisfação que a cerveja pode oferecer. Aproximadamente 90% ainda pensam que cerveja se reduz à “loira estupidamente gelada”. Mas essa é uma das praticamente infinitas opções que essa deliciosa bebida pode nos oferecer”, conta.

Comemoração

Marcada para às 13 horas do dia 20 de agosto, a festa em comemoração aos três anos da microcervejaria, será realizada no Buffet Belmont. O evento contará com música ao vivo, comidas típicas e muita cerveja. A entrada tem valor de R$20 reais e a pessoa ganhará uma caneca já cheia de cerveja. Para mais informações sobre a festa, visite a página no Facebook ou ou encaminhe um e-mail para: contato@tocadamangava.com.br.

Serviço

“Toca da Mangava”

Endereço: Av. Cel. Alfredo Augusto do Nascimento, 2000 – entre Sousas e Joaquim Egídio

Telefone: (19) 3258768

E-mail: contato@tocadamangava.com.br

*Dados da Kirin Beer University

Matéria: Caroline Belini

  

Comentários