fbpx

Com o início da Campanha de Vacinação contra a Gripe público-alvo deve comparecer às unidades de saúde para se imunizar

Teve início, na quarta-feira, 10, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. A expectativa, de acordo com o Ministério da Saúde, é imunizar 58 milhões de pessoas até o dia 31 de maio. O ponto alto da vacinação, chamado de Dia “D”, acontece no dia 4 de maio.

A importância da vacinação vai muito além da prevenção individual. Ao se vacinar, você está ajudando toda a comunidade a diminuir os casos de determinada doença, neste caso, a influenza.
Em Jaguariúna, a Secretária de Saúde têm como objetivo vacinar 90% das pessoas definidas como integrantes dos grupos prioritários. Um balanço realizado pela Prefeitura aponta que para atingir essa meta, 13.226 precisam ser vacinadas.

Conforme o Ministério, os primeiros a serem vacinados são crianças, gestantes e puérperas (mulheres no período pós-parto). A partir do dia 22 de abril, os outros grupos prioritários, que inclui os idosos, profissionais de saúde, professores e pessoas com comorbidades, entram no cronograma.

Ainda, informou que houve alteração de duas cepas na vacina, em relação ao ano passado. Por isso, recomenda que os grupos selecionados, ainda que já tenham sido imunizados anteriormente, recebam a nova dose este ano.

A secretária da pasta, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão, lembra que em Jaguariúna são sete Unidades Básicas de Saúde (UBS) envolvidas na campanha. “Incluindo a recém inaugurada, da Nova Jaguariúna”, informa.

“A vacina é segura e previne a gripe que é uma doença infecciosa respiratória aguda, com elevada transmissibilidade, que tem como complicação a pneumonia responsável altas taxas de internação e óbito e grandes epidemias. Compareça com a caderneta de vacinação e atualize sua situação vacinal”, disse Maria do Carmo. Cada UBS conta com salas de vacina funcionando de segunda a sexta, das 8h às 15h30.

Como a vacina atua no nosso corpo? Quando nos vacinamos, apresentamos ao nosso corpo um antígeno até então desconhecido. O corpo passa, com isso, a produzir anticorpos contra ele. Nesse primeiro momento, a produção de anticorpos é relativamente lenta. Além da produção de anticorpos, o organismo produz células de memória, ou seja, células que, ao serem expostas novamente ao mesmo antígeno, serão capazes de produzir anticorpos mais rapidamente.

Em virtude da presença de células de memória, uma pessoa vacinada consegue que seu sistema imune atue de maneira mais rápida, evitando que a doença se desenvolva. Assim sendo, a vacina atua como um agente preventivo, devendo ser utilizada antes do contágio. Ela é considerada uma forma de imunização ativa, pois estimula nosso organismo a produzir substâncias de defesa.

A vacinação é importante para a redução dos números de casos de doenças infecciosas em toda a comunidade, uma vez que a transmissão é diminuída; Diminuição do número de hospitalizações; Redução de gastos com medicamentos; Redução da mortandade; Erradicação de doenças.
Mas as vacinas podem mesmo erradicar doenças? Ao vacinar a população, diminuímos a incidência de determinada doença. À medida que toda a população vai sendo vacinada, os índices caem até que nenhum caso seja mais registrado, pois toda a população está protegida.

Apesar de parecer, muitas vezes, impossível proteger toda a população, a imunização tem dado resultados no Brasil e no mundo. Em nosso país, já ocorreu a erradicação da poliomielite e da varíola graças à utilização de vacinas. Além disso, segundo a Fundação Oswaldo Cruz, ocorreu a eliminação da circulação do vírus autóctone do sarampo em 2000 e da rubéola desde 2009. Outras doenças também tiveram seus casos reduzidos, como é o caso do tétano neonatal.

Durante a semana, a vacina está disponível nas Unidades de Saúde:
Nova Jaguariúna;
Fontanela;
12 de Setembro;
Florianópolis;
Roseira de Baixo;
Roseira de Cima;
Miguel Martini (7h30 às 15h30).

  

Comentários