CONSAB recolhe mais de 100 toneladas de lixo hospitalar em sete meses

Em apenas sete meses, de janeiro a julho desse ano, o Consórcio Intermunicipal na Área de Saneamento Ambiental (CONSAB) recolheu mais de 105,16 toneladas de lixo hospitalar em sete municípios da região – a maior parte deles, em Jaguariúna e Cosmópolis, responsáveis pela produção de 48,7 e 19,5 toneladas desse material, respectivamente. Os resíduos de serviços de saúde, de acordo com o consórcio, são classificados em grupos – cada um deles com uma destinação diferente.

Materiais como algodão, gaze e outras bandagens, além de objetos cortantes como seringas e agulhas, são encaminhados a usinas de tratamento, onde passam por um processo de descontaminação antes de serem enviados para aterros. Medicamentos vencidos e produtos químicos, por outro lado, são incinerados em usinas certificadas de acordo com as normas ambientais.

Para o presidente do CONSAB, o prefeito Fernando Fiori de Godoy, de Holambra, o maior desafio é garantir a adequação no processo de coleta e destinação desse material, minimizando danos ao meio ambiente. “Todo resíduo deve ser tratado com grande responsabilidade. É uma questão de saúde pública. Somos bastante rigorosos nesse sentido”, explica.

Holambra, apesar de ser o menor entre os municípios consorciados, é a quarta maior geradora de resíduos de saúde. Foram 10,2 toneladas até o final do mês passado – quantidade superior, por exemplo, à de cidades maiores como Conchal (7,7) e Engenheiro Coelho (2,7). Em Artur Nogueira foram coletadas 14,1 toneladas e, em Cordeirópolis, 1,9.

Matéria: ASCOM

  

Comentários