Consórcio PCJ promove visita técnica às obras da barragem de Duas Pontes, em Amparo

O Consórcio PCJ, em parceria com o Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE), promoveu na última terça-feira (26/04) uma visita técnica às obras da Barragem de Duas Pontes, em Amparo (SP). Juntamente com a Barragem de Pedreira, no município vizinho, o funcionamento do reservatório vai aumentar significativamente a disponibilidade hídrica para as cidades que se beneficiam das bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.

A Barragem de Duas Pontes foi projetada com altura máxima de 35 metros e comprimento total de 800 metros. Dos 880 hectares, 486 hectares serão destinados ao reservatório. O volume útil será de 53,4 hm³. A estrutura do barramento vai contar com vertedouro de 140 metros e capacidade de até 715 m³/s (TR 10.000 anos), bacia de dissipação, galeria de adução, tomada d’água seletiva (nível) e escada de peixes. Em 391 hectares da Área de Preservação Permanente (APP) do reservatório serão plantadas até 440 mil árvores nativas

No evento com participação de autoridades, técnicos e responsáveis pela construção da barragem em Amparo, foi apresentado o atual cronograma, que tem 35% das obras concluídas. De acordo com Francisco Lahóz, secretário executivo do Consórcio PCJ, a visita técnica representou uma oportunidade de aproximação institucional entre os coordenadores do empreendimento e os gestores regionais, viabilizando maior diálogo, troca de informações e possibilidade de acompanhamento das obras. “A barragem é de extrema importância para a região, uma vez que vai beneficiar muitos municípios”, afirmou. “E é cada vez maior a nossa preocupação com a preservação dos recursos hídricos”, completou.

Os empreendedores destacaram que as ações para desviar o Rio Camanducaia estão programadas para janeiro de 2023, sem prejuízo ou impacto ao regime das vazões de jusante. Segundo técnicos do DAEE, a previsão para finalizar as obras é julho de 2023. O enchimento do reservatório se dará entre três e seis meses, permitindo regularização de até 5,3m³/s a serem somados aos atuais 3,4m³/s de vazão média do Camanducaia, totalizando 8,7m³/s de vazão garantida.

Consideradas uma das últimas possibilidades de reservatórios regionais de água, internas às bacias do PCJ, as Barragens de Duas Pontes e Pedreira são obras estratégicas para garantir a ampliação da disponibilidade hídrica e desenvolvimento para a região, além da regularização da vazão dos rios Jaguari e Camanducaia em épocas de chuva e de estiagem. Juntos, os dois reservatórios deverão prover vazões regularizadas de 8,7 m³/s e 8,4 m³/s, respectivamente (com 98% de garantia), aumentando as vazões firmes disponíveis nestes dois rios em cerca de 9 m³/s para jusante.

Os municípios de Amparo, Pedreira, Jaguariúna, Holambra, Paulínia, Cosmópolis, Limeira, Americana e Piracicaba, localizados na calha desses mananciais, são os principais beneficiados pelas vazões regularizadas pelos reservatórios de Pedreira e Duas Pontes. No entanto, o número de cidades atendidas pelas vazões a serem regularizadas poderá ser maior, mediante execução do Sistema Adutor Regional (SAR-PCJ). Durante a visita técnica em Amparo, representantes do DAEE destacaram que está em processo de licitação pela autarquia a revisão de estudo de viabilidade e execução do Projeto Básico e EIA/RIMA do SAR-PCJ, com previsão de conclusão dos objetos até julho de 2023. Da mesma forma, há sinalização de tratativas do DAEE para viabilizar junto à Secretaria da Fazenda a reserva de recursos financeiros orçamentários para as obras do SAR-PCJ.

A Barragem de Duas Pontes foi projetada com altura máxima de 35 metros e comprimento total de 800 metros. Dos 880 hectares, 486 hectares serão destinados ao reservatório. O volume útil será de 53,4 hm³. A estrutura do barramento vai contar com vertedouro de 140 metros e capacidade de até 715 m³/s (TR 10.000 anos), bacia de dissipação, galeria de adução, tomada d’água seletiva (nível) e escada de peixes. Em 391 hectares da Área de Preservação Permanente (APP) do reservatório serão plantadas até 440 mil árvores nativas.

No evento com participação de autoridades, técnicos e responsáveis pela construção da barragem em Amparo, foi apresentado o atual cronograma, que tem 35% das obras concluídas. De acordo com Francisco Lahóz, secretário executivo do Consórcio PCJ, a visita técnica representou uma oportunidade de aproximação institucional entre os coordenadores do empreendimento e os gestores regionais, viabilizando maior diálogo, troca de informações e possibilidade de acompanhamento das obras. “A barragem é de extrema importância para a região, uma vez que vai beneficiar muitos municípios”, afirmou. “E é cada vez maior a nossa preocupação com a preservação dos recursos hídricos”, completou.

Os empreendedores destacaram que as ações para desviar o Rio Camanducaia estão programadas para janeiro de 2023, sem prejuízo ou impacto ao regime das vazões de jusante. Segundo técnicos do DAEE, a previsão para finalizar as obras é julho de 2023. O enchimento do reservatório se dará entre três e seis meses, permitindo regularização de até 5,3m³/s a serem somados aos atuais 3,4m³/s de vazão média do Camanducaia, totalizando 8,7m³/s de vazão garantida.

Consideradas uma das últimas possibilidades de reservatórios regionais de água, internas às bacias do PCJ, as Barragens de Duas Pontes e Pedreira são obras estratégicas para garantir a ampliação da disponibilidade hídrica e desenvolvimento para a região, além da regularização da vazão dos rios Jaguari e Camanducaia em épocas de chuva e de estiagem. Juntos, os dois reservatórios deverão prover vazões regularizadas de 8,7 m³/s e 8,4 m³/s, respectivamente (com 98% de garantia), aumentando as vazões firmes disponíveis nestes dois rios em cerca de 9 m³/s para jusante.

Os municípios de Amparo, Pedreira, Jaguariúna, Holambra, Paulínia, Cosmópolis, Limeira, Americana e Piracicaba, localizados na calha desses mananciais, são os principais beneficiados pelas vazões regularizadas pelos reservatórios de Pedreira e Duas Pontes. No entanto, o número de cidades atendidas pelas vazões a serem regularizadas poderá ser maior, mediante execução do Sistema Adutor Regional (SAR-PCJ). Durante a visita técnica em Amparo, representantes do DAEE destacaram que está em processo de licitação pela autarquia a revisão de estudo de viabilidade e execução do Projeto Básico e EIA/RIMA do SAR-PCJ, com previsão de conclusão dos objetos até julho de 2023. Da mesma forma, há sinalização de tratativas do DAEE para viabilizar junto à Secretaria da Fazenda a reserva de recursos financeiros orçamentários para as obras do SAR-PCJ.

Representações
Além do secretário executivo do Consórcio PCJ, Francisco Carlos Castro Lahóz, estiveram presentes na visita técnica à Barragem de Duas Pontes o vice-presidente para Proteção aos Mananciais do Consórcio PCJ e diretor da DAE-Jundiaí, Martim Ribeiro, o diretor-presidente da Fundação Agência das Bacias PCJ, Sérgio Razera, o presidente do DAEV-Valinhos, Walter Gasi, o presidente do SEMAE-Piracicaba, Maurício Oliveira, a presidente do SAEAN-Artur Nogueira, Gabriela Montoya Fernandes, o secretário de Obras do município de Cordeirópolis, Marcelo Coghi, a representante do município de Amparo, Heloísa Baldasso, o representante do município de Pedreira, Marcelo Ancona, os Coordenadores da AEGEA, Rodrigo Leitão e Alan Willian Pedra, o diretor do SAEAN, Éric Padela, o gerente de Meio Ambiente da Rhodia Solvay Group, Alexandre Toledo, os representantes Flávio Forti Stenico, José Cezar Saad e Maria Dalila, do Consórcio PCJ, José Antonio Ferreira, da DAE-Jundiaí, e Felipe Gonzaga, da Fundação Agência das Bacias PCJ. Tibério Júnior, Lígia Oliveira e Guilherme Marques participaram pelo DAEE/Consórcio CPC.

  

Comentários