Dedicação e persistência marcam equipe do Jaguars Rugby

Matéria: Paula Partyka

 

Associação Atlética Rugby Jaguariúna conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Jaguariúna, Galaxyled, Olon Foods, Geral Transp., Bar dos Lagos e DG Auto Peças

 Allan Pestana, por quatro anos é presidente da equipe Jaguars Rugby. Ele assumiu neste ano de 2019 e ainda tem três anos pela frente.

Segundo Pestana, no fim de 2009, um grupo se reuniu para começar a praticar o esporte. Eles convidaram outros grupos da região para vir até Jaguariúna e ensiná-los técnicas e regras, assim, aperfeiçoando-se.

Depois disso, o grupo expandiu por meio de convites aos amigos e conhecidos e outras pessoas começaram a integrar o time. Um dos fundadores, reconhecido como Escocês, ajudou com a organização e tudo mais, até estabelecer o clube e oficializá-lo.

Em 2010, com a oficialização da Associação Atlética Rugby Jaguariúna, a equipe começou a participar de campeonatos. O primeiro, lembra Pestana, foi o Campeonato Paulista de Rugby do Interior, promovida pela Liga Paulista de Rugby (Lipar).

“No primeiro ano de clube não começamos muito bem. Apanhamos bastante e começamos a sentir que não era só diversão, queríamos ser competitivos”, disse Pestana. A partir disso algumas iniciativas foram tomadas.

Inicialmente, a equipe percebeu que era necessário mais conhecimento e preparação a partir dos treinos. Então buscou um treinador, hoje um dos nomes mais reconhecidos do Rugby Brasil, Jairo Pastorelli.  “Foi ele quem deu os passos iniciais para o time, para conseguir nos desenvolver como clube. Ele realmente trouxe a essência do Rugby para o time”.

Passado o tempo, o time queria mais pois foram pegando o gosto pelas vitórias e ao mesmo tempo estavam sendo reconhecidos na região. Novos interessados também apareceram para agregar o time. Nessa época, um novo treinador assumiu, o Paulo Neulander, que na época havia passado pelo time de Rugby do São Paulo.

O time foi se desenvolvendo gradativamente e reuniu vitórias importantes contra clubes da região. Isso foi animando, de acordo com Pestana, e foi o ponto chave para reconhecer que poderiam ir longe.

Depois de mais um período, André Van Kruyssen assumiu a frente dos treinos do Jaguars, pois a equipe estava com alguns problemas. Não muito sério, mas Paulo, o treinador, morava em outra cidade e havia maior dificuldade para a realização dos treinos. André ajudou a equipe cerca de um ano e quando precisou se ausentar, o próprio Pestana assumiu.

Rugby Jaguars continuou participando de campeonatos, inclusive o Paulista. Por indicação de um árbitro, o treinador argentino Luis tirou o time do rebaixamento em 2017. “Foi um choque muito bom para o grupo, no sentido de incentivo, pois o time estava muito cabisbaixo”, considera Pestana.

Ele ficou com o grupo até junho de 2018. Depois Pestana assumiu e ficou responsável pela equipe técnica. “Eu implantei algumas modificações no grupo que deu um ar novo para a equipe”, disse.

A sua estreia foi na semana em que Luis se despediu do time. O grupo estava participando de um campeonato e a equipe perdeu. Foi quando Pestana percebeu que a ajuda que os atletas precisavam não era apenas de treino e sim de outras questões, como psicológica.

Dentre as novas medidas adotadas, o psicólogo Carlos Pasqual, pai de Pestana, começou a ajudar o grupo. “O resultado foi imediato. No próximo jogo já atuamos muito bem e ganhamos de times difíceis”, lembra.

Portanto a equipe teve um trabalho psicológico realizado e havia sido considerado esse o motivo da melhora de desempenho. Mas, Pestana considerou a questão de ser uma coincidência. “Ás vezes os outros times estavam ruins, não sabemos. Jogamos contra o time que perdemos no meu jogo de estreia e ganhamos tudo, toda hora a bola era nossa. O primeiro tempo toda a posse de bola era nossa, mas a galera não estava sabendo lidar com isso. No segundo tempo, fizeram por merecer e ganhamos o jogo. Foi uma vitória muito forte”.

Neste ano, a equipe tem participado do Campeonato Paulista série B, sob direção técnica de André Van Kruyssen que retornou ao time, o qual o Jaguars é vice-campeão subindo de divisão. A disputa teve início no dia 07 de abril e primeiro jogo não saiu conforme o esperado pelo time e infelizmente teve a estreia com uma derrota do time São Carlos.

Boa parte dos atletas que atuam hoje é o mesmo que estava no início do projeto, o que é bom, mas Pestana lamenta a baixa adesão de atletas. “Eu acho que é coisa de todo time amador porque eu converso com outros times e eles têm o mesmo problema: o atleta deixa para se inscrever na última hora e não dá tempo. Ficamos dois jogos com desfalque nos bancos e isso pesou”.

Os atletas novos, Pestana considera que é preciso trabalhar com eles ainda. Ele conta que eles têm vontade e ânimo, o que conta muito para incentivar a aposta nesses jogadores.

Outra coisa mencionada é a questão do preparo físico que conta muito nesses jogos que precisam de resistência. Pestana explica que não pode cobrar dos jogadores por não disponibilizar um espaço para treino de força, ou alguma parceria em academia e afins. “Não podemos cobrar, mas temos uma avaliação. Eu implementei a avaliação de desempenho e mostro para eles os resultados, que na base teórica, é o que eles tem e o que necessitam melhorar. Só que muitos atletas, por ser amador, não tem a cabeça de que é coisa séria, não se aplica a todos. Mas, é um ponto que eu vejo que tem que melhorar como equipe”.

Todos podem participar do Rugby Jaguars, e o primeiro passo para isso é o atleta passar por um teste de aptidão física, porque a equipe não possui médico. Depois disso, o atleta é encaixado na equipe adequada com sua idade. O primeiro mês é experimental.

 

Treinos

Terças e Quintas, das 19h30 às 21h e domingos, das 10h às 12h – a partir dos 15 anos.

Terças e Quintas – 15h30 às 17h – Infantil, de 8 a 11 anos.

Terças e Quintas – 8h30 às 10h – 12 a 14 anos.

Os treinos são realizados na Rua Mário Venturini, 238-294 – Parque Florianopolis.

Mensalidade de R$50, utilizado para manutenção de aparelhos.

 


Comentários