Defesa Civil faz balanço do aumento das queimadas na estiagem deste ano

A Defesa Civil de Campinas divulgou dados de controle de queimadas e de vistorias preventivas durante reunião ordinária do Comitê Gestor da Operação Estiagem 2020, realizada na tarde desta terça-feira 25 de agosto. Os números mostram aumento expressivo no período de maio até 24 de agosto de 2020 em comparação com os mesmos meses de 2019.

O número de focos de queimadas registrados por imagens de satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) soma 157 de maio a 24 de agosto deste ano, mais que o dobro comparado aos 75 em maio a agosto de 2019, o mês todo. Os focos não captados pelo Inpe, mas que chegaram por denúncia ao órgão, já somam 47 em maio a 24 de agosto de 2020 contra 42 entre maio a agosto completo de 2019. A Defesa Civil realizou 330 vistorias preventivas de maio a agosto de 2019. Neste ano, entre maio até 24 de agosto, já foram realizadas 486.

A estiagem e as queimadas estão sendo tratadas como um eixo estratégico no Comitê Municipal de Enfrentamento da Pandemia de Infecção Humana pelo novo Coronavírus (Covid-19) em virtude da complexidade do momento. “Em tempo de coronavírus, é necessário reduzir o número de pessoas que buscam atendimento no sistema público de Saúde com problemas respiratórios decorrentes do período do tempo seco”, destaca o diretor da Defesa Civil, Sidnei Furtado.

 

Umidade do ar

O mesmo levantamento mostra também as ocorrências da Umidade Relativa do Ar (estados de atenção, alerta e emergência) no mesmo período. Foram 40 publicações de estado de atenção de maio a agosto de 2019 contra 48 de maio a agosto de 2020, até o momento. Estados de alerta foram 2 em maio a agosto de 2019 contra 7 em maio a agosto de 2020. Não houve até o momento boletim de estado de emergência.

É declarado estado de alerta quando a umidade relativa do ar está entre 12% e 20%. E estado de atenção, quando a umidade relativa do ar está entre 20% e 30%.
A Operação Estiagem termina no dia 31 de setembro. A Defesa Civil monitora as áreas de incêndios com o uso de drone e também das imagens de satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O Instituto fornece imagens capturadas por satélites que ajudam a Defesa Civil a identificar terrenos que apresentem algum potencial de risco no município.

A Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, que integra a Operação Estiagem, aplica as medidas necessárias, preventivas e punitivas, para combater as queimadas. Provocar incêndio ambiental é crime. Poderão ser aplicadas penalidades de advertência e multa, variando de 80 a 80 mil Unidades Fiscais de Campinas (UFICs), valores que correspondem a R$ 290,00 a R$ 290 mil, sem prejuízo das medidas de reparação e de compensação dos danos causados. Quando ocorrerem em áreas especialmente protegidas, o valor das multas é dobrado, podendo chegar a R$ 580 mil.

A Defesa Civil solicita aos cidadãos que ao avistarem focos de queimadas informem a ocorrência ao Corpo de Bombeiros pelo telefone 193, que acionará os serviços municipais.

  

Comentários