Em última sessão do semestre, Vereadores comentam sobre aprovação de loteamentos – Holambra

A Câmara Municipal de Holambra realizou nesta segunda-feira, 22 de junho, a última Sessão Ordinária do semestre. O encontro realizado mais uma vez sem público devido as medidas adotadas em combate ao novo coronavírus, reuniu todos os representantes da casa que aproveitaram a tribuna para falar sobre a aprovação de novos loteamentos no município, assunto muito comentado nas redes sociais nos últimos dias.

Os vereadores aprovaram por 7 votos favoráveis e 1 contrário um requerimento de iniciativa dos vereadores Jacinta Elizabeth van den Broek Heijden e Aparecido Lopes da Silva Lima, que requer informações referentes aos loteamentos aprovados pelo poder executivo no ano de 2020.

A vereadora Jacinta defendeu que os vereadores deveriam ser os primeiros informados sobre os novos loteamentos e explicou – “Tomei ciência de que havia as ações de inconstitucionalidade já deferidas no dia seguinte da publicação no facebook pelo Chico Schoenmaker, até o momento que respondi prontamente aquela publicação, o meu conhecimento até então foi baseado na Lei Orgânica que havíamos aprovado recentemente, fui tomada de surpresa, quem leu o jornal vi que fiz a retificação,” disse. “Serão tantas as áreas impactadas, é triste acompanhar a substituição de uma de nossas econômicas, a da agricultura pela especulação imobiliária,” opinou.

O presidente da Casa, Lucas Barbosa Simioni explicou que a aprovação de novos loteamentos não passa pela Câmara e defende que a Lei Orgânica não foi infringida e que o Plano Diretor foi discutido em audiências públicas, junto ao CMDU (Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano) e que todos sabiam sobre as expansões urbanas.

“Sou a favor do crescimento organizado da cidade, minha família é nascida e criada aqui e todos nós temos esse desejo de ver nossa Holambra evoluindo cada vez mais, é muito desonesto que no Facebook tenham pessoas que colocam a culpa nos vereadores e começam a querer denegrir nossa imagem, é preciso cobrar dos donos das propriedades, os mais interessados em tornar suas terras mais lucrativas, ” esclarece.

“Daqui pra frente o que vai acontecer muito é dizer que vereador tá escondendo, que não tá tomando posição, porque o CMDU não vai procurar os holandeses donos das terras que serão loteadas? eles se colocam numa posição que o que é favorável pra eles ok, quando não é vamos criticar,” comentou o vice-presidente Eduardo da Silva. “Eu não entro em debate de internet porque eu acho muito pequeno, agora não se pode faltar com a verdade, “completa.

Para o vereador Mario Luiz Sitta existem verdades, meias verdades e mentiras e existe a parte política dentro de comentários em redes sociais. O representante do legislativo comenta ainda que na revisão da Lei Orgânica, mesmo sabendo que era uma prerrogativa do executivo, os vereadores votaram a favor de que os projetos de loteamentos passassem pelo CMDU e também pela Câmara.

“Nós estamos aqui fazendo a nossa parte, é muito triste ver que tem pessoas que usam dessa prerrogativa e ainda fazem loteamentos vir criticar os vereadores que “não fizeram nada”, quando era dele o loteamento ficou quieto, até das redes sociais sumiu. Muitas pessoas falam coisas negativas dos vereadores sendo que eles mesmo estão fazendo as coisas erradas, então vamos ficar atentos,” conclui.

“Sou favorável as discussões para o crescimento da cidade mas o que me impressiona é que é pensado apenas no interesse próprio e dessa forma vamos crescer apontando uns para os outros. O compromisso não é apenas da política, me surpreende ver as pessoas que sentaram pra discutir o plano diretor usar as redes sociais para criticar. Se a gente não aprender a discutir o coletivo, vamos enfrentar isso por muito tempo ainda.” Exalta o vereador Serjão Oliveira.
A Câmara aprovou também em segunda votação o Projeto de Lei nº 008/2020 do executivo, que estabelece as diretrizes a serem observadas na elaboração da Lei Orçamentária do município para o exercício de 2021.

 

Indicações

O vereador Jesus da Farmácia solicitou a construção de pavimentação asfáltica na Estrada Municipal HBR 333 (Cachoeirinha), no Bairro Fundão e a vereadora Jacinta Elizabeth van den Broek Heijden pediu a liberação de exames toxicológicos na Policlínica para a população, em especial aos pedidos formulados pelo Conselho Tutelar e a viabilidade de convênio junto às clínicas para o atendimento de dependentes químicos do município.

  

Comentários