EMEF comemora o centenário de Maria Diva

Alunos, pais, professores, funcionários e familiares participaram da solenidade que comemorou o centenário de nascimento de Maria Diva Franco de Oliveira, que dá nome à EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) situada no bairro Rosa Cruz.

O evento foi realizado na segunda-feira, dia 28 de maio, na quadra coberta da escola, reunindo um grande número de pessoas da comunidade. Estavam presentes as filhas de Maria Diva, Maria Amélia, que é a primeira-dama do Município, e Maristela. O prefeito Walter Caveanha também participou da homenagem.

Estavam os netos Vinícius de Oliveira Caveanha e esposa, Tomaz de Oliveira Caveanha e esposa, Fernando de Oliveira Brito e esposa, e Cassiana Amaral de Oliveira. Os bisnetos Manoela Sigrist Caveanha, Beatriz Sigrist Caveanha e Maria Eduarda também estavam presentes.

Ocorreram apresentações artísticas, como o monólogo de autoria da professora Josilene Gomes da Silva de Freitas, pela aluna Heloisa de Paiva Siqueira; a apresentação da música preferida da patrona, “Trem das Onze”, pelos alunos do 1º e 2º anos; exibição de vídeo sobre a vida da patrona; premiação dos concursos de desenho, técnicas de pintura, poesia e frases; exposição de fotos, desenhos feitos pela patrona e exposição de objetos pessoais e de época (emprestados pelo historiador Amauri Colombo).

SOBRE A HOMENAGEADA

Maria Diva Franco de Oliveira nasceu em Mogi Guaçu em 29 de maio de 1918. Filha do vereador guaçuano Antonio de Souza Franco e de Aspásia Girard Franco, viveu a sua infância na zona rural, sítio de propriedade da família, denominado Santo Antônio do Fundão.

Caçula de seis irmãos, ela frequentou os primeiros anos da escolaridade com professoras leigas, que a cidade oferecia. Já adolescente, foi matriculada no Colégio Imaculada (Mogi Mirim), onde fez o antigo curso ginasial e, posteriormente, o curso normal, hoje Magistério, concluído em dezembro de 1943.

Logo depois de formada, iniciou sua carreira profissional lecionando em escolas estaduais rurais. Passou pela Fazenda Velha, Fazenda Oriçanga, Bairro do Engenho Velho em Mogi Guaçu e também pela Fazenda Boa Esperança, em São José do Rio Pardo.

Em 30 de maio de 1950, por decisão da Secretaria de Estado dos Negócios da Educação, foi nomeada para iniciar em Mogi Guaçu as atividades na área de educação infantil no Grupo Escolar “Padre Armani”, com crianças de 6 anos. Foi a primeira professora estadual de educação infantil de Mogi Guaçu.

Dedicou 27 anos ao “Jardim da Infância” do “Padre Armani” e seu idealismo fez com que esses anos fossem também recheados de muitos eventos, festas e formaturas. Em julho de 1950, casou-se com Alcides de Oliveira. Passou assinar Maria Diva Franco de Oliveira.

Dessa união vieram os filhos Maria Amélia, Alcides José e Maristela. Após nove anos de matrimônio, ficou viúva e com muita determinação assumiu a criação e formação deles. Moradora no nº 19 da rua José de Godoy, cultivava ali inúmeros vasos de samambaias, avencas e antúrios, no caramanchão de sua casa. Cuidou também, com amor, dos animais.

Conseguiu transferir para as filhas o gosto pela educação infantil, incentivando-as a tal ponto que nasceu em Mogi Guaçu, em 13 de fevereiro de 1973, a primeira escola particular batizada de Escolinha Serelepe, hoje Colégio Seletivo. Como filha, professora, esposa e mãe, Maria Diva foi um exemplo.

  

Comentários