Escola + Bonita recupera estabelecimentos de ensino inclusive durante férias

Força tarefa de mais de 3 mil reeducandos intensificam trabalhos até dia 26; na CRC são 425 detentos revitalizando 17 unidades escolares

Mais de 400 reeudcandos entre homens e mulheres que cumprem penas no regime semiaberto em estabelecimentos penais da Coordenadoria das Unidades Prisionais da Região Central (CRC) continuam os trabalhos de pintura em 17 escolas da região. Entre as cidades contempladas estão Campinas, Hortolândia, Sumaré, Sorocaba, Porto Feliz, Itapetininga, Iperó, Itirapina, Itapetininga e Votorantim, Mogi Mirim, Mogi Guaçu e Mococa. As revitalizações começam dia 15 e vão até o dia 26 de julho.

Em todo o estado, 103 escolas estão sendo pintadas por presos durante o mês de julho graças ao projeto “Escola + Bonita”. Ao todo, 67 municípios paulistas são beneficiados com a iniciativa. Desde o início do mês e até o final de julho, 3.025 reeducandos estarão preparando os 103 estabelecimentos escolares para o novo semestre. Do total de escolas, 90 são escolas estaduais – as demais são municipais, além da Faculdade de Tecnologia Prefeito Hirant Sanazar, de Osasco.

O projeto é resultado de uma parceria entre Secretarias da Administração Penitenciária (SAP), da Educação e de Desenvolvimento Econômico, sob gestão na SAP da Coordenadoria de Reintegração Social e Cidadania. A ação prevê a reforma de 2,1 mil escolas em todo o Estado. Durante as férias escolares, a pintura acontece durante a semana, diferente do período escolar, em que ocorre aos fins de semana.

Os reeducandos são capacitados como pintores profissionais por meio do Programa Via Rápida Expresso, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, e a pintura das escolas entra como parte prática do curso. Por conta disso, os reeducandos recebem remição de pena – a cada doze horas de estudo, um dia é abatido da pena.

Escola + Bonita

A ação faz parte do programa “Escola + Bonita”, que prevê a revitalização de 2,1 mil escolas estaduais de São Paulo até 2020. O projeto oferece capacitação aos sentenciados na área de construção civil, com enfoque no curso de pintura de obras públicas, e, ao mesmo tempo, mantém limpas e pintadas as estruturas de ambientes escolares do Estado de São Paulo. Vinte e cinco detentos de cada estabelecimento penal participam de 20 horas de aulas teóricas, nas dependências das unidades prisionais, e mais 80 horas de aulas práticas, quando partem para ações nas edificações das cidades. Ao todo são 425 reeducandos recebendo capacitação profissional e recebendo oportunidade de ressocialização. A pintura é feita em horários que não interrompam a utilização da escola, com tintas sem cheiro para não interferir na dinâmica dos profissionais no ambiente educacional.

 


Comentários